Páginas

23 de dez de 2009

Merry Christmas



Então bom Natal... e ano novo também... e seja feliz quem souber o que é o bem!!!



.

21 de dez de 2009

Votação

Encerrada a votação no blog. Eis que 57% acharam o novo layout lindo (oba!), 20% bonitinho, 8% uma merda, e 14% nem sabia que mudou.

Valeu aí todo mundo que votou!

Nem obriguei minha mãe a ficar votando no lindo. (ela votou por vontande própria)

:-P


A má notícia (ou boa notícia, sei lá) é que já quero mudar de novo... aquele rosa ali tá tão meigo né... poderia ser lilás, ou laranja, ou preto, ou azul, ou...

18 de dez de 2009

Solidária


E daí? Todo mundo sabe que Suzana adora dar aos pobres.

E vai continuar adorando.

.

14 de dez de 2009

Sobre a burrice nossa de cada dia

A gente tá lá... se achando o fodão, certo de que sabe o que tem de ser feito e vai ser feito. Ninguém precisa te dizer o que fazer porque, cara%$lho, você já sabe!

Daí a pessoa passa meses filhadaputeando, mas basta uma vírgula legal e você já esquece tudo.

E vem sempre uma música na cabeça (porque é assim, existe música pra tudo) e gruda. Gruda e não te larga mais. E é tão óbvio que chega a ser ridículo:

Você olha pra mim e é tão fácil mudar qualquer plano...

E nessas horas não tem o que fazer. É levantar a cabeça, respirar fundo e dizer com toda vontade: Puta que pariu!! F$%deuuuuu!!


Ou você tem outra ideia?

10 de dez de 2009

Querido Diário

O final do ano passado foi uma merda. Esse parece ser uma merda vezes dois.


O deadline tá chegando. Aquele que eu me dei. Não, querido diário, deadline não é um morenão gostoso. É o prazo para eu deixar de lado um. Mas tá tão perto...

Daí vem o Natal. Papai e mamãe me disputando no Natal. Eu devo ser legal, né? Mas um deles vai me xingar na hora na ceia... O outro vai me dar presente.

Daí vem o reveillon. Eu tenho problema com ondas. Me perco nas contas. Dizem que são sete, mas vale contar marolinha? Na última vez pulei umas 20 pra garantir... humpf! Esforço jogado fora.

Daí amanhece e eu fico lá, me achando em final de temporada de seriado americano (eu sou a mocinha, é claro). Cheia de planos e metas mirabolantes para a nova temporada. Só que a de 2009 foi tão chata que até eu dormi.

Mas dia 3 de janeiro chega rápido. E é o dia mais lindo do ano! Que por sinal, é meu aniversário, já contei?


Então tá, querido diário. Vou esperar passar os dias. Depois é só dar descarga.

Mando notícias.



.

8 de dez de 2009

Rapidinha de segunda

No MSN:

Tô no status ocupado e uma amiga:

- Kellen, me chama quando der.

¬¬

Mas e se o assunto for urgente?


#solteirademeiatigela


.

1 de dez de 2009

Milhão

A Fazenda: Xuxa diz que não quer ganhar R$ 1 milhão


O medalhista olímpico Fernando Scherer disse que não aceitou o convite para participar do reallity show por dinheiro, e sim para promover e incentivar o esporte na mídia.


**


Sei não, mas olhando daqui... ele parece gostar de um milhão na poupança.



.

26 de nov de 2009

Querida Nova



Sabe a revista Nova? Aquela que traz sempre uma famosa gostosona na capa e dicas im-per-dí-veis de como amarrar o gato na cama, dar de cabeça pra baixo, e se sentir a Diva Von Tesse?


Então, peguei a desse mês e fui direto no horóscopo (sou um exemplo de jornalista).




Capricórnio: Blablabla.... Perto do dia 10, puxe o cabelo dele na hora da transa.


????????


Querida Nova, fiquei com uma dúvida. É que já é final de mês, vale dia 10 do mês que vem?
Obrigada!

**

Querida Nova, sou eu de novo, é que assim... dia 10 tá muito perto, sabe como é, o mercado tá difícil.. pode ser dia 10 de qualquer mês?

**

Errr.... Querida Nova, só mais uma perguntinha... e se ele for CARECA?

23 de nov de 2009

Dica do dia

Frase do dia:

Se você se alimenta bem, não bebe e nunca dorme tarde, péssima notícia: essa merda de vida vai ser longa. (@amatos30 – no twitter)

Pense nisso.

Mico Meu

A estreia da sessão “Mico Meu” me fez lembrar das aulas de educação física nos tempos de colégio. Nunca fui muito boa em futebol, vôlei, handebol, ping pong, bolinha de gude... (tá, vocês já entenderam), e era a últi, digo, quase a última a ser escolhida. Só não fiz anos de terapia porque pobre ou se cura sozinho ou fica sem dinheiro pro ovo frito...


Mas a Mata Hari, do blog Mata Hari Pub Virtual – tarada, fã do Danilo Gentili e sem vergonha de pagar mico - mandou era tragédia pra gente!


“Estava eu em uma feira cultural em uma cidade da região em um grupo de dança de Hip Hop, onde o professor nos ensinaria coreografias. Eis que ele resolve chamar alunos que se destacaram para subir ao palco, e me chama. Estávamos só eu e mais uma colega da minha cidade, e mais uns 300 de outras cidades. Pediu que dançássemos a música ensaiada e após o término, apontou um por um dos alunos e deveriam aplaudir os melhores. Acontece que quando chegou a minha vez, NINGUÉM me aplaudiu, e digo NINQUÉM MESMO! Nem a própria colega da minha cidade, de vergonha de certo... kkkkk, lógico que desci do palco e não fiquei nem pro tira-tema e quando ele foi apontar pra mim pra ouvir os aplausos fantasma novamente, eu já estava beeeem longe. O desgraçado até fez piadinha quanto ao meu sumiço, rs. Mas foi divertido, como sempre, hoje me lembro e dou risada! Hehe.”


Valeu, Mata! Autoestima é tudo! (mas eu de TPM teria chorado quilos).




Tá na sua vez!

;-)

17 de nov de 2009

Tá na mesa, pessoal!

Depois de muita enrolação, testes e sumiço, cá estou com o novo layout! (O quê? Vai dizer que nem notou? =P)


Eu sei que demorou, mas ah... obra no Brasil, gente...


Não tivemos problema na licitação, nem superfaturamento. Tô trabalhando horrores nas últimas semanas, tive recaída adolescente (voltei a ouvir Sandy e Junior) e tava achando tudo feio (comoveu?). E, sim, eu sou mega chata - nenhum dos 5347 layouts que testei parecia bom o suficiente. Daí resolvi decifrar os códigos de programação e quando vi tava lá editando HTML faceira da vida. E gostei do negócio, vou continuar fuçando, o que significa que ainda terá novidades por aqui.


O cabeçalho ali de cima é arte do Josué, do blog Desenho Josuko. Ele é tão legal que fez a bonequinha com peitão e cinturinha, provando que o que Deus não deu, o photoshop faz!


**


Mico meu


Já pagou mico? (claro que já, não mente!) Então, conta pra mim! Você não vai ficar famoso e nem ganhar dinheiro, mas alguém vai poder rir da sua cara! (alguém = eu).

Eu contaria um mico meu, mas não consigo lembrar... faz tempo, sabe? Conta aí.


Aproveita que tá aqui matando tempo e responde a enquete ali do lado.


Ah, e volte sempre! Como diria um vôzinho aí da TV... a festa continua, a casa é sua, pode entrar!


:-)



Update: O @defranca se compadeceu com a minha tentativa de ajeitar o blog e deu A força. Agora a enquete aparece certinho. Adorei! Nada como ter um designer de interação como amigo, né não? Ele que fez o site da Unesc, ó que chique!


Agora não tem mais desculpa pra não votar! Vota, vai... ;-)

6 de nov de 2009

Testes e mais testes

Tô testando templates, cabeçalho... essas coisas. Tá uma bagunça... repara não!

Quando acabar a faxina eu convido todo mundo pra um café, tá?

:-)

23 de out de 2009

Amém!

No Terra: Ladrão ajoelha e reza com vítima de assalto nos EUA





**

Peraí, o ladrão rezar com a presa é novidade?
Alôoooo, chamam isso de igreja!

20 de out de 2009

Hehe, Haha ou Hihi?

E se nossa risada fosse como no MSN?





**

Dica da minha mana Raí.


**

Atenção!

A reforma no blog, apesar da demorar, não é obra do governo, tá
PutzCri? É que eu sou chata (beeem chata) pra aprovar as coisas. E com minha chefa em licença maternidade, sobra menos tempo pra viajar em bobagens... (não que eu fizesse isso antes, tá chefa?).


Guenta aí!

15 de out de 2009

Obras

É com você que eu vou sempre estar
Dentro do meu coração
Nada vai nos separar, baby

*

E se a saudade apertar
Procure no céu
A estrela que mais brilhar
Ela será o meu olhar


***

Ei, você aí que está me perguntando se vou demorar... só mais cinco minutinhos!

;-)

24 de set de 2009

Em reforma!

Eu vou revelar um segredo que eu não contei pra ninguém, mas vou contar pra você, se prometer não espalhar...

Estive pensando seriamente em excluir o blog, já que nem dou atenção pra ele... (apesar de adorar quando chega comentário). Os dias estão corridos, o computador de casa uma lesma e os livros e filmes me ocupam à noite. Junte-se aí uma boa dose de preguiça...
Mas estive pensando também em pegar de vez e caprichar. Mais postagens, um novo cabeçalho, participação de leitores (se é que ainda tem algum)...

Pensei.... Pensei... Pensei....

E decidi!




Em breve teremos novidades!

\o/

14 de set de 2009

Diz Que Fui Por Aí

Se alguém perguntar por mim
Diz que fui por aí
Levando um violão debaixo do braço
Em qualquer esquina eu paro
Em qualquer botequim eu entro
Se houver motivo
É mais um samba que eu faço

Se quiserem saber se volto
Diga que sim
Mas só depois que a saudade se afastar de mim

...



Diz que fui por aí
Fernanda Takai
Composição: Zé Keti / Hortêncio Rocha

4 de set de 2009

O tempo não perdoa!

Sabe aqueles personagens que fizeram parte da sua infância, que pareciam perfeitos e você dizia "quero ser assim quando crescer"??

Pois é. O tempo passou pra eles também.


**

A Barbie já tem 50 anos.


E o Piu-Piu 60...


Tá igualzinho ao seu marido?


Ou a sua mulher...



***

Conforme-se. O gostosão de hoje é o saco murcho de amanhã.

;-)

Bommmmm feriadão!



obs - não conheço a autoria dos desenhos. Sorry.

28 de ago de 2009

Twitter

Agora o blog tem link direto pro meu twitter!

Tá vendo o passarinho ali do lado? Clicando nele vai direto pra minha página. Isso é para o caso de você não aguentar de saudade... (ok, menos, bem menos).

Não é preciso ter twitter para ler, mas se tiver, já sabe: follow-me there!

24 de ago de 2009

Diário de bordo – Parte 6 - No "matinho"

Manhã de sábado, 16 de maio. Céu nublado no Rio e muito mato pra ver! Destino de hoje: Jardim Botânico. É que o Ricardo, amigo nosso, querido (e engenheiro agrônomo), disse que ninguééééém pode ir ao Rio de Janeiro e não conhecer o Jardim Botânico!
A Fran, vascaína daquelas, foi conhecer o estádio do Vasco (tô com preguiça de ir no google ver o nome), Aline e eu seguimos a dica do Ricardo.

Longe. Pra variar. (Na realidade, tudo parecia longe, já que nosso hotel era no c# na cidade). Acostumadas a andar na Praça Nereu Ramos (meia dúzia de árvores e uns banquinhos no meio) ou então na Praça do Congresso, onde o máximo que pode acontecer é pegar uma micose se encostar na água do laguinho, logo na entrada pensamos numa coisa bem óbvia de acontecer: E se a gente se perder? É muito mato! Já me vi nas manchetes dos jornais.
Daí Aline teve a brilhante ideia de perguntar pra mulher que recolhia os bilhetes:
- Moça, e se a gente se perder?
Ela, com uma cara de “fodam-se”, fez uma risadinha irônica e não respondeu. Poxa, custa dizer que um bombeirão lindo vai aparecer pra nos salvar?
Pensando bem, não tenho fetiche com fardas, não... melhor seguir as placas...
Anda pra lá, pra cá... mas pra mim, mato é mato. Tudo igual. E eu só lembrava do Ricardo. Grrrrrrrrr. Combinamos de dizer que adoraaaaamos o lugar. Pelo menos serviu pra fazer fotos tipo fundo de porta-retrato de R$ 1,99... sabe como é, né?


Arrumamos uns fãs, só gatinho, viu?



Hora do almoço

Reencontramos a Fran e fomos almoçar na Barra. Longe, mas lindona. Quero morar lá quando eu crescer! Dizem que é cheio de artistas, mas ninguém resolveu das as caras neste dia. Ou eu nem notei.
Ah, na saída do restaurante pegamos um táxi pra ir à praia. Mas o taxista tava era levando a mulher pro trabalho. Apareceu a gente querendo corrida, ele topou e saiu pra procurar a mulher que tava no posto, sei lá... quando ela chegou deu de cara com o carro cheio de mulheres (nós) e levou um susto. Mas como a gente não tem cara de assaltante ficou tudo certo. O marido voltou. Levamos ela pro trabalho e fomos pra praia. Rá!


Em Copacabana... Cayme e Drumond – nossos amigos!
Bater fotos com estátuas é nossa especialidade.



Aline não perdoou a barriguinha de chope do Cayme.





Já a Fran engatou um papo reto com o Drumond.


Paradinha pro chope num quiosque e de volta pro hotel recuperar as baterias porque a noite é da Lapa!


***

Quer ler desde o início? Vai clicando aí... sem dó nem piedade!


Parte 1 - A chegada

Parte 2 – Quinta em Copa

Parte 3 – O Cristo

Parte 4 – Contada pela Aline

Parte 5 – Rio Scenarium

19 de ago de 2009

Oi, lembra de mim?

O título bem que combina com meu "sumiço" por essas bandas, mas não é. Faz parte de um tweet da @suzannevaladon retwittado pelo @cvalente, que chamou minha atenção ontem pelo ótimo duplo sentido que combina com a nova campanha contra DSTs, do Governo. "Oi, lembra de mim? Então, a gente se fodeu".

É claro que esse não é o mote da campanha Muito prazer, sexo sem DST. Acho que os publicitários do governo não são tão criativos quanto a Suzane...

Tá, chega de preliminares. Vamos direto ao assunto. O Ricardo, do blog
As aventuras de Chicuta e Rebelo gostou do tema e fez um post. Tomei a liberdade de reproduzir aqui pra vc entender melhor que por$#*ra é essa que eu tô falando. Mas pode conferir o post original clicando aqui também!

;-)






Uidarréu?

Esse governo Brasileiro é um brincalhão.Não bastasse colocar no ar aqueles dois canais de comédias e piadas,a TV Senado e a TV Câmara, agora deram para fazer piada na internet também.

É só o que consigo pensar quando vejo uma matéria como essa aqui da Band:
Parceiro pode enviar cartão virtual para comunicar DST

Quer dizer então que você vai lá,transa com a pessoa sem camisinha,pega um monte de bichinhos e depois manda um cartãozinho colorido para o e-mail dela avisando:

-“Ó, se eu fosse você ia AGORA fazer um exame que detecte DST’s.Sério mesmo.Vai lá Champs.”

Se trata da Campanha:Muito prazer,sexo sem DST.

Louvável a iniciativa de prevenção,mas também nao precisa avacalhar.Erraram a mão e vai virar motivo de piada.Já estou vendo as pessoas mandando em nome de outras só para rir da cara de quem recebe.Ninguém vai levar a sério,mesmo se for verdade.

-“Ahá,a Marcela me mandou um e-card dizendo que estou com AIDS,que comediante essa Marcela.Já recebi uns 3 desses essa semana.”

-“Marcela?Aquela morena baixinha,coxuda?”

-“Isso,ela mesma,uma graça,sempre querendo fazer piada com tudo.”

-“Morreu à uma hora atrás,recebi o aviso no Twitter…”

7 de ago de 2009

Friday

Semana que voa. Filminhos. Pessoas que pensam que sabem das coisas. Amigas maravilhosas que me citam em posts.

Tanta coisa pra escrever e uma preguiiiiiça.

Essa semana assisti "Quem quer ser um milionário" e "Crepúsculo". O primeiro é maravilhoso, mostra uma Índia pobre bem diferente do que passa na Globo e provoca uma sensação de "puta merda! esse cara só se ferra!" Faz você torcer pro coitado como se fosse de casa. Quero escrever mais sobre isso, qualquer dia eu faço uma resenha, mas enquanto isso...veja o filme e entenda o que quero dizer.
Já Crepúsculo é um romancinho adolescente, mas legal. O cara é fofo, tá valendo. Dá uma vontade de levar uma mordida de vampiro... hehehe

**

Pessoas que ACHAM que sabem das coisas... é foda. Me divirto tanto. Adorei o comentário anônimo de ontem. Risadas compulsivas. Primeiro pela pessoa ACHAR que sabe da minha vida. Segundo por ela ACHAR que é esperta. Terceiro por ter amigas espirituosas que sabem tirar sarro como ninguém! Amo tanto!

**

Falando em amigas maravilhosas, já que hoje eu tô num momento "querido diário", mando beijo pra duas lindas que adoro muito: as Deise's.

A Deise Anne - que fez esse post ótimo, disse que foi inspirada no meu post. Adorei!

E a Deise - que tá de endereço novo, fez esse post divertidíssimo e vai me contratar para ser sua assessora quando ficar famosa!

Vou ali pegar uma escadinha pra buscar meu ego... vocês jogaram lá em cima!

=)

Hohoho Friday!!

Beijos!

3 de ago de 2009

É no pagode

Depois de um longo e tenebroso inverno, de vários finais de semana cansada com minhas meias três quartos e rezando baixo pelos cantos por ser uma menina má, eis que a turma resolve sair.


Fomos no Pagode do Chocolate. - Há uns dois ou três anos que o pagode de domingo é o quente na cidade. A impressão que eu tinha é que era proibido para maiores de 18, então nunca fui. - Ou melhor, nunca tinha ido...

A primeira coisa é parar o carro no estacionamento e atolar o salto na lama. Mas nada que tire o glamour de ir no pagode, né?


É impressionante como a mulherada não sente frio. É muito fogo, não é possível! Só nós de manga comprida. E sabe aquela história dos 18 anos? pois é... teenagers, teenagers por todo lado!


Muvuca pra entrar e a Gi:

- Vamos se enfiar no meio da gripe!

Olha, não é má ideia. Da próxima vez umas máscaras resolvem. Duvido quem não dá espaço pra gente passar!



*

Logo que entramos ouço uns “põe na tela amarelo”. O DJ era o Cacau Menezes. O que segundo a Gi, tem tudo a ver.... Chocolate.. Cacau...an an? Pegou?




Daí começa a banda. Pagodeada pra cá, pagodeada pra lá, e de repente: “faz um milagre em miiiiimmmm”. Isso é o que eu chamo de música de igreja. Não sabia que tocavam música de igreja em balada. Geral cantando empolgado. Tô por fora da moda. Pensei que a próxima seria um pout pourri do padre galã Fábio de Mello, mas nem...


Até que para tudo. Hora de soletrar. (??????). Sim, no meio da festa, depois que todo mundo consumiu umas gotas de álcool, a banda chama uns infelizes no palco pra brincar de soletrar. O prêmio? A cueca de sei lá quem...

Soletra aí: presente de grego!



*


E assim foi... Uma noite bem divertida! Com pessoas bonitas e legais, risadas e sambinhas. Rendeu planos pra October e até pro carnaval em Laguna. Hohoho


Fim da festa

Mulher de 24 anos termina casamento com homem de 85: "Ele só queria sexo"


E você aí... custando a segunda, heim?


**


Um desses com uns 50 anos a menos não me aparece. Humpf!


Rapidinha de segunda

No elevador, o vizinho pergunta pra menina DE UNIFORME:

- Acabou as férias?

Não. É que ela só tem essa roupa, tadinha...


#perguntaidiotatolerânciazero


*****



Tô sumida, mas tô aqui. E fui num pagode... hohoho

Em breve, cenas dos próximos capítulos.

28 de jul de 2009

O que tu é da Juliana?

Quem me conhece sabe que não moro com os pais e nem sozinha. Divido apê com amigas. (E quem não sabia, ficou sabendo =P)
Daí que fomos na locadora fazer ficha pra alugar filmes. Como a conta de energia está no nome da Juli, o cadastro foi feito no nome dela. Gabi e eu somos "dependentes".

O cara pede meus dados e pergunta:
- O que tu é da Juliana?

Eu, na minha santa inocência:
- Nós moramos juntas.

Ele faz cara sem graça por alguns segundos...
- Amiga?

Daí nos demos conta da confusão.

- Não, não!!!
- A gente não é sapatão!!
- Só moramos juntas.
- Tipo, dividimos despesas.
- Pode botar amiga aí.


E ele (sorrisinho safado no canto da boca):
- Mesmo que fossem, não tenho preconceito...


***

Só sei que nunca mais vou dizer que "moro" com alguém. A não ser que seja do sexo masculino, é claro. Aliás, alguém sabe quem foi o ganhador da Mega Sena?

=P





Obs- Antes que apareça algum um falso moralista me chamando disso e daquilo, bla, bla, bla (bocejo), aviso: esse é um blog de bobagens e nem tudo o que é dito é pra ser levado à sério. Vá encher o saco da avó. Bom dia!


22 de jul de 2009

Quem gosta de homem é viado!

Um grupo de homens caminha na minha frente conversando alto. No que um fala:

- Eu não ganho bem.

Os colegas notam a minha presença... e riem. Sei lá porque diabos, mas o cara tenta consertar.

- Eu não ganho bem. Mas amo muito bem.


******

Ué, mas não dizem que quem gosta de homem é viado? Mulher gosta é de dinheiro!

Se fu#*deu, mano!

21 de jul de 2009

13 de jul de 2009

Uma cachorra na cama


Kuka, uma cachorra na cama! Aliás, na minha cama...


**

Passando rapidinho só pra avisar que vou ficar um pouco off essa semana. Prometo recuperar o tempo perdido (e os comentários nos blogs alheios) quando estiver com tudo em dia.
Não morra de saudade... =P


Kisses

8 de jul de 2009

Pantera cor de rosa

Se você pensa que já viu de tudo nessa vida... não se engane. A maldita incRusão digital sempre reserva algo mais.





Pintosa por que tem pinto?

Sim

No Terra:

Kaká vai com a mulher ao casamento de Sthefany e Pato

Tá. Me avise quando ele for com a amante.

Consolo

Tá precisando de uma forcinha pra levantar a autoestima?

É só ter uma irmã como a minha.

No verão, estava com uns quilinhos a mais e bordinhas. Não quis caminhar na praia só de biquíni.
A Jéssica pra me convencer:

- Ah, o que que tem? Os outros vão olhar, vão rir e esquecer.

*

Isso é que é consolo, o resto é porcaria!


*já é inverno e eu ainda acha graça.

6 de jul de 2009

Diário de bordo - Parte 5 - Rio Scenarium

Olhando as palavras procuradas no Google que fazem com que desavisados caiam aqui, vi que alguém procurou por Santa Tereza, aquele bairro do Rio que se chega de bondinho, sabe? Então me dei conta que não terminei de contar da viagem. (aqueeeeeela viagem).
Parei na parte que Aline e Fran foram pra Santa Tereza. Sim, gente, elas voltaram de lá.

Parte 5 – A noite carioca

Sexta à noite. Não tivemos coragem suficiente (e nem companhia) pra encarar um baile funk. Bem que eu queria, mas tinha medo de duas coisas: de cair na gargalhada e apanhar, ou gostar e não querer voltar embora. Vai saber, né?
Fomos num lugar chamado Rio Scenarium. É antiquário durante o dia, bar durante a noite.
A gente não reservou lugar e disputou mesa com uma mulher chata que não se decidia. Até que a responsável, lá pelas tantas, tomou nossas dores.
– Peraí, sou que mando aqui.
Conseguimos o lugar!

Uma caipirinha de abacaxi de morrer bebendo. Um elevador sinistro, escadas de madeira, parecia aquelas minisséries de época da Globo. Aliás, teve uma atriz que se estabacou na nossa frente (a Cláudia Mauro - bota no google - que tinha apresentado uma peça ali antes). Estátuas, uma banda com umas vinte mulheres em cima do palco tocando sambinha, e uma pista com DJ tocando MPB.

Eu disse estátuas? O que mais fiz nessa viagem foi bater fotos com estátuas.



Só não sei explicar o porquê.

**

Daí que nós temos imã de chatos. Sabe como é né? Os opostos se atraem. (modéstia mode off).
Tô eu lá, grudada no celular, e um fulano depressivo por ser trocado por um aparelho. Oras. Tem mulheres que trocam homens por outros objetos. Deixa eu com minhas mensagens...
Daí aparece um mexicano. No auge da gripe suína vem o cara dizer que é mexicano. Altamente excitante, né?
Nisso, Aline se entende com um gatinho. Bem gatinho. Mas adivinha? Gaúcho. Sai de Criciúma pra ficar com um gaúcho no Rio. Haha

Vou ao banheiro pela, sei lá, quinta vez na noite. Esqueci onde era.
- Moço, onde é o banheiro?
- É essa porta na tua frente.

¬¬

Ir ao banheiro é um saco. Nem só pela fila. Mas tem sempre um bêbado no caminho. Ali tinha o chato do lenço. Explico: eu tava com um lenço no pescoço, tipo babador de neném mesmo. E cada vez que passava por ali um bêbado fazia a mesma pergunta:
- Não tá te enforcando?
Tá, é que eu sou suicida.

*

Enfim, o lugar é ótimo. Dançamos, rimos e bebemos até umas 3h30 da manhã, quando decidimos voltar pro hotel pra recuperar as energias pro dia seguinte. Afinal, restava ainda o sábado pra brincar de turista...


Quem quiser ler os outros capítulos do diário de bordo, é só clicar:

Parte 1 - A chegada
Parte 2 - Quinta em Copa
Parte 3 - O Cristo
Parte 4 - Contada pela Aline


No próximo capítulo: no meio do mato, digo, no Jardim Botânico... e na Lapa!

3 de jul de 2009

Bate que eu gamo

Adoro comentários no blog. Adoro mesmo. Mesmo quando são pra xingar. Não é hipocrisia, não. É que a se a pessoa se deu ao trabalho de perder alguns minutos escrevendo na caixa de comentários é porque, de alguma forma, minhas palavras mexeram com ela. Se deixaram puta, tudo bem, mas mexeram.

Como é o caso do anônimo abaixo:

Meu Deus!!!depois deste blog, acabei de crer que o destino de nosso jornalismo não é nada promissor, sem falar nos frequentadores, cruzzzzzzz, tirando eu, é claro que só tô de passagem, entrei por falta de aviso!!!Ô gente...como é que perde tempo para manter uma coisa dessa?? UM hehehehe pra tu, binha!!
OBS: Não deveria ter levado tão à sério esse negócio de blog como meio de disseminação de pensamentos e fatos pouco relevantes!!tadinha da minha fia!!!hehehe de novo!!!

**

Ser jornalista não significa que eu tenha que escrever pautas e coisas sérias o tempo todo. Isso eu faço o dia inteiro no trabalho. E me pagam pra isso.

Isso aqui é um blog pessoal (com o nome sugestivo de "Olha a corneta").
Na descrição diz: "Um espaço para comentar as bobagens que eu leio, ouço, vejo e penso". Sempre achei que essa frase fosse fácil de entender...


Não gostou? pode xingar. Eu não modero comentários justamente por isso, pra que todos os anônimos possam expressar sua opinião. Só não se julgue melhor do que meus amigos/frequentadores. São pessoas que gostam de rir das bizarrices da vida, igual a mim, e entram na brincadeira. Gente bem humorada, sabe?

Comente, me chame de "binha" (seja lá o que isso quer dizer), me chame de fia (da puta?), e depois clique no x ali no canto da página com a sensação de dever cumprido. Alt F4 é serventia da casa.

;-)

****

Talvez a pessoa sem nome nem leia isto (já que só estava de passagem por pura falta de aviso mesmo). Mas sei lá, né?

Aos frequentadores (cruzzzzz) um ótimo final de semana!

Kisses

30 de jun de 2009

Um pouco de Millôr...

"Eterno" em amor tem o mesmo sentido que "permanente" em cabelo.

Ótimo, não? A frase do Millôr Fernandes pode jogar água fria nos corações românticos do mundo afora. Mas pense, é realidade.

Sim, acredito no amor. É claro que acredito. Mas prefiro muito mais o "seja eterno enquanto dure". Se durar para sempre (como diz naquele pagode), melhor. Se não durar...

Sou sentimental, sim. Ouço músicas bobas e alugo comédias-românticas (e queria que tudo fosse bonito como no cinema). Mas quando aperto "stop" volto à realidade. Não existe perfeição.
"Como são admiráveis as pessoas que nós não conhecemos bem". Outra do Millôr.

**

Por que tô dizendo tudo isso?
Porque tem me acontecido coisas bizarras ultimamente. Que só reforçam minha tese.

*

O quadro abaixo é uma ilustração nua e crua do que acontece com muitas pessoas. E é aí que eu não quero chegar. Espero que você também não.



Mas uma risadinha sempre faz bem... ;)

********

Ótima semana!


Se quiser mais de Millôr, siga @millorfernandes.

26 de jun de 2009

Cinza

E no jornal Meia Hora:




Isso é que é resumo!



Via @huckluciano no Twitter.

25 de jun de 2009

Lançamento

Burger King lança desodorante masculino com fragrância de carne grelhada


**

Sim. Para atrair as cachorras.

Happy!



Happy!! xalalalá...
It's so nice to be happy!! xalalalá!
Everybody should be happy!

***

Meus problemas acabaram!

Tô de volta ao normal! Ao meu normal.

;-)

22 de jun de 2009

Dead Line

No jornalismo, dead line é o prazo final, a hora do fechamento (das matérias, do jornal). É quando se está com a corda no pescoço, é a linha da morte.

Essa semana é meu dead line. Em várias coisas.

...

Aceito pensamentos positivos, orações, piadas e chocolates.

Ótima semana!

;-)

19 de jun de 2009

O poder do "hehehe"

Volta e meia me pego rindo como o bonequinho do MSN. Sabe aquele com a mãozinha na boca com cara de quem falou besteira?
E várias, mas várias vezes mesmo, penso: hehehe.

O que é o hehehe?
Mais um jeito de rir? Talvez. Acho que ele tem um quê de ironia, de safadinho, de algo além do “riso”. Se é engraçado será “hahaha”. Se é uma mistura de sentidos será “hehehe”.

Tá, eu tenho interpretações malucas. Já me disseram isso.
Mas pense: o “hehehe” serve:

Quando você não sabe o que responder;
Quando não está a fim de responder;
Quando fala algo mais sacaninha;
Quando quer dar um “chega pra lá”;
Quando só quer ser engraçadinho mesmo;

Você pode mandar alguém tomar no cu, mas se vier acompanhado de “hehehe” não fica ruim.

*

Uma vez me falaram que MSN não tem tom, não tem como saber a entonação que a pessoa quis dar a tal palavra. É frio. Para isto que servem os emoticons.

Algumas pessoas preferem o exagero de letras. Eu uso, mas só em algumas ocasiões. Quando quero mostrar exagero mesmo: muuuuuuuuita saudade!

Daí vem minha maluquice de novo. Meço a empolgação da pessoa pela quantidade de “i’s” ou de “!”. Explico:
“Oi!!!” ou “Oiiii” – estão errados, mas me parecem muito mais empolgados do que “Oi”.

Faz sentido, né?

***

Chegou a sexta-feira de uma semana corrida. Muito corrida. Mas ainda tô viva e por aqui... como diria Raul... “controlando a minha maluquez, misturada com minha lucidez”...

Ótimo final de semana!

15 de jun de 2009

Rapidinha de segunda

Minha irmã adolescente é ótima:

- Ele terminou comigo, disse que não é o cara certo pra mim.
- E tu?
- Eu disse que também acho.

Rá!

Aula de economia

Recebi o texto abaixo por e-mail. Dizia ser de uma revista de finanças. Não sei se é verdade, provavelmente é ficção, mas é um texto muito bom. Uma boa aula de economia... e faz refletir sobre outros valores também.

Leia até o final, ok?
E tenha uma ótima semana!


**

“Uma paixão vale mais que um milhão"
Uma moça escreveu um email para uma revista financeira pedindo dicas sobre "como arrumar um marido rico". Contudo, mais inacreditável que o "pedido" da moça, foi a disposição de um rapaz que, muito inspirado, respondeu à mensagem, de forma muito bem fundamentada.

Segue:
Mensagem/email da MOÇA:
"Sou uma garota linda (maravilhosamente linda) de 25 anos. Sou bem articulada e tenho classe. Estou querendo me casar com alguém que ganhe no mínimo meio milhão de dólares por ano. Tem algum homem que ganhe 500 mil ou mais neste site? Ou alguma mulher casada com alguém que ganhe isso e que possa me dar algumas dicas? Já namorei homens que ganham por volta de 200 a 250 mil, mas não consigo passar disso. E 250 mil por ano não vão me fazer morar em Central Park West. Conheço uma mulher (da minha aula de ioga) que casou com um banqueiro e vive em Tribeca! E ela não é tão bonita quanto eu, nem é inteligente. Então, o que ela fez que eu não fiz? Qual a estratégia correta? Como eu chego ao nível dela?" (Rafaela S.)


Mensagem/resposta do (inspiradíssimo) RAPAZ:
"Li sua consulta com grande interesse, pensei cuidadosamente no seu caso e fiz uma análise da situação. Primeiramente, eu ganho mais de 500 mil por ano. Portanto, não estou tomando o seu tempo a toa... Isto posto, considero os fatos da seguinte forma: Visto da perspectiva de um homem como eu (que tenho os requisitos que você procura), o que você oferece é simplesmente um péssimo negócio. Eis o porquê: deixando as firulas de lado, o que você sugere é uma negociação simples. Você entra com sua beleza física e eu entro com o dinheiro. Proposta clara, sem entrelinhas. Mas tem um problema. Com toda certeza, com o tempo a sua beleza vai diminuir e um dia acabar, ao contrário do meu dinheiro que, com o tempo, continuará aumentando. Assim, em termos econômicos, você é um ativo sofrendo depreciação e eu sou um ativo rendendo dividendos. E você não somente sofre depreciação, mas sofre uma depreciação progressiva, ou seja, sempre aumenta! Explicando, você tem 25 anos hoje e deve continuar linda pelos próximos 5 ou 10 anos, mas sempre um pouco menos a cada ano. E no futuro, quando você se comparar com uma foto de hoje, verá que virou um caco. Isto é, hoje você está em 'alta', na época ideal de ser vendida, mas não de ser comprada. Usando o linguajar de Wall Street , quem a tiver hoje deve mantê-la como 'trading position' (posição para comercializar) e não como 'buy and hold' (compre e retenha), que é para o quê você se oferece... Portanto, ainda em termos comerciais, casar (que é um 'buy and hold') com você não é um bom negócio a médio/longo prazo! Mas alugá-la, sim! Assim, em termos sociais, um negócio razoável a se cogitar é namorar. Cogitar... Mas, já cogitando, e para certificar-me do quão 'articulada, com classe e maravilhosamente linda' seja você, eu, na condição de provável futuro locatário dessa 'máquina', quero tão somente o que é de praxe: fazer um 'test drive' antes de fechar o negócio... podemos marcar?"

10 de jun de 2009

Love Is In The Air

Hoje descobri que alguém gosta muito de mim e queria que eu ganhasse R$ 300,00 na promoção do Engeplus e do Della. A pessoa (eu sei quem é, mas não vou falar lálálálá) se deu ao trabalho de pegar uma foto minha com meu ex, preencher o cadastro e enviar para o site. Fofo, né?

Poxa, pena que não foi pro ar. Com R$ 300,00 eu poderia até comprar um caneco de “super amiga” na Mais Presentes.

Ahhhh, mas por que não foi pro ar? É que quando eu finalmente consegui parar de rir, pedi aos editores pra só publicarem foto minha se eu estiver agarrada com o Wagner Moura! Sabe como é, né? Ele é ciumento...


**


Aos amigos, beijos e beijos!

8 de jun de 2009

O tempo não espera por mim...

Há algum tempo acompanho o blog “A poesia do tempo”, da cearense Deise Anne, uma moça com muita sensibilidade, que escreve super bem. Como o nome diz, é um blog de poesias. As poesias dela.
Logo na primeira vez que fui lá, a frase de descrição do blog me chamou muito a atenção. E volta e meia lembro dela: Pelo tempo que passa sem esperar por mim...


Nesta segunda-feira gelada esse “slogan” não me sai da cabeça. “O tempo passa sem esperar por mim”. E vai tão rápido... (quando nos dermos conta já estaremos comprando presentes de Natal de novo e fazendo planos para o ano que vem).



Por que tô falando tudo isso? Porque não é só por mim que o tempo não espera, cara-pálida, é por você também. A carapuça que visto hoje pode ser a que você está precisando dar aquela “provadinha”.

E porque essa semana tenho que decidir coisas... que podem mudar muitas coisas.

4 de jun de 2009

Duplo sentido

Volto pro msn e encontro a mensagem de uma amiga:

- Me chama quando der.

****

Mente poluída é uma naba, viu?!

3 de jun de 2009

Diário de bordo - Parte 4

O post de hoje conta com a participação ilustre da Aline, minha amiga queridona que topou na hora quando inventei de viajar. É a companhia ideal pra viagens: fotografa tudo o que vê, encara andar o dia inteiro e amanhecer numa festa depois, e fala tudo o que eu tenho que ouvir, mesmo que seja f*da. (Fran, não fica com ciúme, tu sabe que eu te I love you, né?).
Por que eu pedi pra ela escrever? Bem... é que não fui no passeio a Santa Tereza, e só quem viu é que poderia contar.
A Aline é jornalista, capricorniana e corneteira... isso me é tão familiar...
O texto dela ficou tão bom que tô com medo de perder a vaga! (reparem nas expressões carioquíssimas ali no meio, maneiro, né?)

Tá, já falei demais. Divirta-se!

*

A sexta-feira não poderia terminar mais carioca. Depois de almoçar em Ipanema, bairro de bacana, bacana mesmo, conhecemos a famosa igreja da Candelária. Aquela dos meninos que foram assassinados. Não tanto por isso que a igreja deve ser famosa, mas principalmente pela arquitetura da moça. Ela foi construída, segundo o cara da entrada (que disse que a gente tinha que bater as fotos bem rápido porque já tava na hora de fechar), em 1700 e poucos. Mas gente, aquilo não é uma igreja normal. E um taxista ainda teve a ousadia de dizer pra gente não esquecer que a catedral do Rio de Janeiro não é a Candelária, que a catedral sim é um dos pontos mais visitados. Pra que catedral amigo, quando se pode conhecer a CANDELÁRIA? Aquilo que é igreja maneira. Anjos enormes, uma escuridão sem fim, uma mistura de bizarro com sei lá o quê. Deu medo, mas foi legal. Ah, e os bancos. Como podemos esquecer dos bancos. Deve doer a bunda assistir a uma missa sentado ali. Medieval. Muito legal.




Um pouco de cultura

Quem sabe uma passadinha no Centro Cultural Banco do Brasil, um bem famoso, bem bonito? Ali sentimos que nossa viagem estava ficando séria mesmo. Deu orgulho da gente visitando aquela exposição, subindo aqueles degraus chiques. Pena que a gente não entendeu nada do que se passava lá dentro, mas pelo menos “a gente se sentimos cultas”. Isso foi bem rápido, não durou uns 10 minutos, acho. E também fomos porque era de graça, né? Ah, tá explicado. E claro que a pobre aqui tinha que bater foto dentro do negócio. Não pode bater foto em locais assim. Alguém me avisa na próxima?

Taxista radical

Então, chega a hora de encararmos o taxista mais rabugento do Rio de Janeiro. Um que trabalha durante o dia, chega em casa às 7 da noite e jura que não sai mais com medo da bandidagem. As meninas acharam ele um pouco radical. Mas até que ele falou umas verdades que eu concordei. E de repente, se não fosse pelo aviso dele, eu teria perdido minha máquina na janela. Mas eu tava batendo foto do que mesmo? Ah, do trânsito eu acho.

Pegando o bonde andando

Pegamos este táxi para chegar à estação pra pegar o bondinho que vai pra Santa Tereza. É aquele bondinho amarelo que passa em cima dos Arcos da Lapa, ele aparece em algumas novelas da Globo. Segundo o taxista de mal com a vida, em Santa Tereza só tem prostituta, bandido e drogado. Mas a gente gosta de aventura seu moço!!!
Lá vamos nós pra Santa Tereza. Primeiro que o bonde custa R$0,60. É que ele serve como meio de transporte para a comunidade e ponto turístico. É genial porque o maquinista tem que ser muito ninja. Aquilo é um perigo. Ele sobe lotado, passa por cima dos Arcos, naquela altura toda, com a galera pendurada. Não tem porta. E quem vai no estribo, local onde se coloca o pé, do ladinho (segundo uma louca lá que morou em Santa Tereza quando era criança e tava visitando o lugar depois de 16 anos, é estribo que se diz) se tiver uma bunda um pouco mais avantajada, engalha, porque o bonde passa rente a cerca fajuta que tem em cima dos Arcos.
Não sei se dá pra entender, mas é muito perigoso. Quando chega em Santa Tereza mesmo, começam as paradas, mas quem disse que a comunidade para na parada? Sempre ouvi aquela expressão “pegou o bonde andando”, mas nunca imaginei que fosse presenciar o ditado. Lá, o pessoal pega o bonde andando e desce com o bonde andando. Se o maquinista tá ligado se o bonde passou por cima de alguém? Imagina. É um grita daqui, outro dali: “Espera, tem gente descendo”, “Calma aí que a mulher ainda tá subindo”. “Tem criança, aguenta aí”. Se o maquinista tá enxergando alguém? Até parece. Ai que nervoso! O bonde, daqueles elétricos, passa no meio da rua e divide espaço com ônibus e carros. Quem tá no estribo nessa hora também tem que cuidar pra não ficar engalhado. Tudo isso na maior harmonia e gritaria.
Mas tirando essa doideira o lugar é sensacional. Vários casarões antigos e uma vista linda, mas linda, de boa parte do Rio. Chegando lá em cima o bonde manobra e desce trazendo os turistas boquiabertos. Ah, e o taxista radical exagerou quando disse que o bairro é perigoso. Claro, é bom ficar ligado e também a gente não desceu do bonde. Mas não deve ser tudo aquilo. Foi show. E Viva Santa Tereza!!

1 de jun de 2009

Cada um com seu fetiche

Sábado num jantar o sujeito se vira pra nós e fala: vocês ficaram na melhor mesa.
- Ao lado do buffet?
- Não, ao lado da nossa.

Modéstia é tudo, né?

*

Lá pelas tantas, já rolando o show do Papas, vem ele:
- Sabe o que eu gosto nas mulheres? a panturrilha.
Hã?
- É sério, a panturrilha. Porque barriga, bunda, já passou... o que os homens notam agora é a panturrilha! Bem definidinha..noooossa!!

Cimara deu corda.
- Olha aquela lá.. tá de fora ó.. o que tu acha?
- Ah não, muito enfeitada, nem dá de ver direito (a mulher tava de meia fina preta daquelas com detalhes

**

Suspende a lipo, cancela o silicone!

Já deu uma olhadinha na sua panturrilha hoje?

28 de mai de 2009

Recado paroquial

Tô indo pra Joinville, a cidade das flores. Volto domingo.

Enquanto isso, deixe a preguiça de lado e use e abuse dos comentários! Eles tão ali pra isso mesmo... e pra me deixarem com cara de boba (mais?).

*

Em Joinville vou participar de um evento bem legal. Diz a minha chefe:
- Olha, vai ter também encontro de jovens empresários...acho que vai estar bom pra ti.
- Gente, vou conhecer a Míriam Leitão.
Caras perplexas na sala:
- A gente falando que vai tá cheio de homem, jovens e empresários e tu me fala em Míriam Leitão?


Vergonha de mim.

*

Vou indo. Beijos e beijos.

26 de mai de 2009

Parte 3 - o Cristo

A janela nos mostrava um Rio cinzento na manhã de sexta-feira. Uma chuva bem fininha... do tipo que deixa os cabelos com aqueles fiapinhos levantados, que só serve pra atrapalhar as fotos...

Primeira parada: Arcos da Lapa
Os arcos da Lapa são feios, sujos e rodeados por mendigos. Têm cheiro de xixi (como em boa parte do Centro), e parecem abandonados. Mesmo assim fizemos caras sorridentes e muitas fotos na frente deles. Os mendigos devem tá tão acostumados que nem deram bola pra nós.


Momento making of

*

Daí a sorte começa a mudar. Indício de sol! Fomos pra avenida (soa indecente, mas nem foi) e pegamos um táxi. O táxi do Nem!

Pra mim, taxista bom é aquele conversador. Que conta causos, que se acha o guia turístico, que dá dicas quentes. E claro, que te leva nos lugares.
Toca o telefone dele:
- Oi, Nem!
Pausa
- Onde cê tá? já tá na hora?
Pausa
- Não vai dar tempo. Cê vai que depois eu busco.
Pausa
- Beijo.

-Era minha esposa.
(a gente percebeu. Pelo tom de voz ou era esposa ou era amante).
- A gente tem uma bonequinha de dois anos e meio e ela tá indo no médico. Veja só, eu sou taxista e ela vai pegar táxi.

(malditas turistas!)


Próxima parada: Pão de Açúcar.
- Que merda é aquela ali?
- O quê?
- Tá fechado.

Desço do carro pra perguntar o que que tá pegando.
- Tá em manutenção, filha.
Filha é o cara#&*#lho!
- Até quando?
- Até dia 18.

Peraí, dia 18 vamos estar em Criciúma, de volta ao mundo real, em frente a um computador trabalhando.
Mas é isso mesmo. Nada de bondinho. Cara na porta! Gastamos nosso estoque de xingamentos e fomos pro Cristo.
Eu sei que parece cruel, mas bateu até um conformismo quando olhei pros ônibus de turismo ali.
- Haha vocês também se fude#$%ram.

No Cristo eu me redimo de pensamentos pecaminosos.


*

Terceira parada: o Cristo
É uma Torre de Babel. Ouvi japonês (ou chinês, vai saber), inglês, espanhol, algo que parecia alemão. Um ou outro falando português. Teve um que nos chamou de “belas ticas”.
Todo mundo disputando um espacinho pra famosa foto de braços abertos (alguns mais pra Titanic do que pra Cristo). E todo mundo aparece na foto de todo mundo.
Uma latinha de refrigerante custa R$ 4,00. Imagina os cristinhos...
No trenzinho de volta um grupo de samba animava a turistalhada. Com tantas senhorinhas simpáticas, o cantor quis me tirar pra dançar. Imagina eu sambando num trenzinho em movimento? Nem eu.


Ganhei beijinho

*

Mais um táxi. Vamos pra Ipanema!
Ao contrário do Nem, estilo pai de família, o taxista agora fazia o tipo carioca malandrão.
Ele pega o radinho e começa a bater papo.
- E a mulherzinha, era maneira?
- Maneira, maneira.

Credo, mulherzinha maneira? Deve ser a forma deles de elogiar...

Chegamos em Ipanema. Hora do almoço.

Dá licença, não posso falar de boca cheia...

25 de mai de 2009

Parte 2 - Quinta em Copa

Chegamos no Rio com aqueeeele solzão. Bem diferente do friozinho que deixamos em Santa Catarina. Mas sabe como é alegria de pobre, né? Depois de olhar em seis, SEIS sites de previsão do tempo, já estávamos conformadas com o tempo nublado nos próximos dias. O negócio então era aproveitar a tarde! Destino: qualquer boteco em Copacabana.

Antes, é claro, largar as trouxas no hotel.
Daí vem a surpresa:

As janelas sujas não pareciam as mesmas das fotos (foi nessa hora que lembrei que já inventaram o photoshop). O hotel até era legal, quarto bom, café, banheiro grande. Mas a localização... ficamos hospedadas no cu da cidade. Lugar feio, longe.
Conselho: nunca, mas nunca mesmo confiei na sua agente de viagens. Ela pode te achar com cara de pobre o suficiente pra te enfiar em um buraco qualquer.
Como eu sempre digo, you live, you learn... acho que agora aprendi.

*

Eu e a Fran temos mania de achar que sabemos de tudo. Em cidade grande nos sentimos em casa. São Paulo? Conheço como a palma da mão! Rio? Ih, moleza!
Coitada da Aline...
Fomos pra Copacabana de metrô. Uma fiiiila pra comprar o bilhete, o pessoal deve ter adorado a gente pedindo informação e demorando horrores pra entender, mas conseguimos.

Ahhh, a praia!! Ahhh, os chopes!! Ahhh, os ambulantes enchendo o saco! Inventamos de comprar cangas. Burrice. Se os outros vendedores verem você comprando algo, vão querer empurrar todo tipo de bugiganga.

Lá pelas tantas aparece um grupinho tocando samba. Gente: chope, na beira da praia, com grupo de samba... tem coisa mais brasileira?
Daí a Fran:
- Parece que conheço essa música...
- Fraaaaaan, é o hino! Tipo, “entre outras mil, és tu Brasil, ó pátria amada”

Riso geral.

*

O bom de ser turista é que você pode pagar mico à vontade que nunca mais vai ver aquelas pessoas mesmo. Em Copacabana tem um mini-cristo. Bati foto até beijando o coitado (mas não mostro nem sob tortura). Aliás, beijei uma estátua aqui, bati papo com outra ali, dei cerveja pra outra lá. E estava sempre sóbria, juro.


Essa é normalzinha pra não dizer que nem mostro nada... Aline empolgadíssima!

*

Voltamos pro nosso fim de mundo, digo, hotel. Muitos planos para o dia seguinte. Então a opção da quinta foi dormir e poupar energias.

Abre parênteses. Até então eu pensei que iria sair. Fui atrás de Red Bull, e nada. O cara do restaurante propôs refrigerante, guaraná. Troca safada, né? Preferi quebrar a promessa feita no carnaval e tomar vodka mesmo. Vodka com bolo, taí uma mistura indigesta. Noite de quinta = desastre. Fecha parênteses.

*

Amanhece a sexta-feira. Da janela dava de ver o Cristo dando tchauzinho pra nós. Hora de conhecer os pontos turísticos. Bondinho, aí vamos nós morrer de medo!

21 de mai de 2009

Diário de bordo - Parte 1 - A chegada

Criei vergonha na cara de, finalmente, cumprir o que prometi: contar os detalhes do passeio que eu, Aline e Fran fizemos ao Rio de Janeiro. Não foi tipo sessão da tarde, “garotas da pesada aprontando todas numa terra muito louca”, afinal, a gente é menina ajuizada... errrr ou quase isso. Mas foi, como diriam os cariocas, muito maneira! Aliás, muito, muito, muito maneira! Ahhh o Riooo... continua lindo!
Foi a primeira de muitas que virão! Falando nisso, se alguém quiser me mandar pra bem longe, tipo... nordeste ou pro exterior mesmo, pode contribuir com o caixinha, eu passo o número da conta hehe

Chega de papo.
Senhores passageiros, bem-vindos ao Rio de Janeiro!

Cadê o Cristo?
- Liga a máquina, cadê Ele? Tá vendo?
- Não, ainda não.
- Ai, deve tá do outro lado.
- Dá nada, olha lá o bondinho.
- Fotos, fotos.

E assim, chegamos!
Hmmm.... acho que pulei uma parte. Na verdade, tudo começou quando eu nasci...
Hehe brincadeira, a história começa na madrugada em Criciúma...

Ida
Na rodoviária, enquanto enfiávamos nossas lindas malas (com alças e com rodinhas), no bagageiro do ônibus, um sujeito um tanto atrapalhado se aproxima.
- Vocês vão pro aeroporto?
- Sim.
- Como vocês vão?
- De táxi.
- Posso ir com vocês?
- Olha se couber, pode... vais pra onde?
- São Paulo.
- Qual vôo?
- Tam, 10h30.
- Ah, então não é o mesmo...
- Cês vão ca Gol?

Viva a cacofonia!


Chegando em Floripa, faltando um tempão para o embarque, fomos tomar café. Depois de comer, com tempo livre de sobra, ficamos batendo papo.
Daí aparece o rapaz novamente:
- Oiiii, já comeram, vocês?
- Olha moço, até comeram, mas faz temmmpo....

Tá, eu nem respondi isso, só pensei.


Passeia pra cá, pra lá. Embarcamos.
Lá pelas tantas o comandante Habib’s (é sério, o nome dele é Habib’s), avisa que está esperando autorização para pousar em São Paulo, e enquanto isso vamos observar a paisagem. Daí ele começa: a sua esquerda temos a serra do sei lá o quê; para quem não conhece, ali é o sei lá o que não lembro. Tipo, dando voltinhas pra passar o tempo. Rá. Porque guia turístico taxista é para os fracos!
Já em São Paulo, a conexão demorou horrores, mas ah... quem se importa?

Pegamos o vôo com o Bento Gonçalves, aquele sabe?
Aline: Tu viu o cara do primeiro banco? É aquele da Globo.
Eu: Não vi, quem?
Aline: Aquele da Casa das Sete Mulheres, bonitão.
Eu: não... (até que ele levanta para ir ao banheiro)
Eu: viiiii, por que tu não falou que era o Bento Gonçalves?
Aline: Isso, o tio Bento! (já se achando da família)
E quem consegue pronunciar Werner Schünemann?

Até que:
Senhores passageiros, dentro de instantes pousaremos no aeroporto Santos Dumont, no Rio da Janeiro.

Então...

- Liga a máquina, cadê Ele? Tá vendo?
- Não, ainda não.
- Ai, deve tá do outro lado.
- Dá nada, olha lá o bondinho.
- Fotos, fotos.

18 de mai de 2009

Crici City

Tô de volta pra você
Se você me aceitar
Juro que não vou fazer
Nada pra te magoar.

***

O pagodinho ali é só pra avisar que tô aqui! A viagem foi ótima. Muitos momentos maravilhosos e alguns horríveis, mas o bom é que nem fui assaltada.

Aguardem as cenas dos próximos capítulos.

;-)

13 de mai de 2009

Tchau, amores!



Agora sim, tô indo ali brincar de turista.


Cante comigo:

As três manés sentido litoral curtindo Red Hot, Bob Marley, Charlie Brown

Pega a estrada numa caranga equipada com as prancha pendurada, mas ninguém sabe surfar
E sai dizendo que tão indo pra Ubatuba que só vão comer lagosta bem de frente pro mar,
Mas eles vão prum kit net ocean só vão comer macarrão com ki-suco de guaraná
Fizeram cheque pra poder pagar o pedágio e vão rezando serra abaixo para nenhum pneu furar

Chegando lá já começa a gandaia mas pra se chega na praia tem uns 15 quarterão
Tem sempre um tonto que esqueceu o chinelo e sai pulando pela rua que ta quente igual carvão
Tira a camisa pra mostrar a tatuagem uma bandeira que e colagem da banquinha de jornal
Pisa na areia com os pé cheio de frieira com uma sunga do parmera que não tem mais nem cordão

E quando chega a noite que é a hora do ataque aquele bafo de
conhaque bota as mina pra correr
Quem se deu bem foi o Veto arrasou uma no boteco e descobriu que era traveco quando fez o xenhenhen
Os outros cinco dando ideia numas gatas querendo leva pra casa e só queriam se dar bem
E convidaram pra da um role de carro chegando lá tinham guinchado e ninguém comeu ninguém

***

Ok, cante comigo só a primeira linha. O resto esquece.

Bye

11 de mai de 2009

Viajona

Ainda tô aqui. Como a semana vai ser mais curta, tenho que deixar o trabalho pronto até quarta-feira. Mas tô aqui, tá Deise? (ela disse nos comentários que pelo sumiço eu já tinha achado um carioca, que nada!).

Adorei as sugestões pra viagem. Que pessoas criativas!
Falando nisso... alguém quer fazer alguma pergunta pro Drumond? =P



Foto que roubei do @lapena no twitter.

***

Quem quiser acompanhar os twits viajantes:
www.twitter.com/kellenrodrigues


beijos

7 de mai de 2009

O fantástico mundo de Bobby

Lembra do Bobby, aquele menininho que viajaaaava em pensamentos e imaginava coisas loucas, de um desenho que passava no SBT?
Eu adorava. Apesar de ser uma criança "mais grandinha", sempre me achei meio Bobby de saia.



Falta exatamente uma semana para a minha viagem e eu tô que é o Bobby. Pra compensar os desaforos da quinta passada, a festa na quinta que vem será na cidade maravilhosa. Conto tudo quando eu voltar. Quer dizer, se eu voltar, porque nunca se sabe se vou morrer de bala perdida, se o avião vai cair ou se vou conhecer um carioca que fale bem carioqueixxxx no meu ouvido e eu fique por lá mesmo(gostei dessa opção hehe).

**


Gente, adoro os comentários. Valeuzão pra quem me desejou sorte!
Ando escrevendo pouco porque tô me sentindo chata pra cara&¨* ultimamente. Mas passa. Nada que umas voltinhas por aí não resolvam.


Beijos e beijos.

3 de mai de 2009

Nos embalos de quinta à noite

Agora é assim: quinta é dia de sair de casa. Sabe-se lá porquê, é o quente da noite em Criciúma. Então tá. Mas essa quinta era ainda mais esperada: véspera de feriado... imagina.

Cheguei em casa podre lá pelas 21h30 (passei o dia fotografando a festa de um cliente, ouvindo sertanejo desde as 8h da manhã), com o cabelo cheirando a comida. Um lado de mim queria dormir, mas o outro mandava deixar a velhice de lado e sair. Fomos. E fomos bebendo vinho (derramei na roupa, obviamente).

Chegando lá, tinha uma fila gigante. Algumas coisas, quando grandes demais, assustam. Fila é uma delas. Conta é outra.

Abre parênteses. Há algum tempo que combino com um amigo de a gente se encontrar numa balada. Mas nossas agendas são incompatíveis (celebridade falando). E ele disse que estaria nessa tal balada e era pra avisar se eu fosse (sei lá pq, mas era pra avisar). Como sou grossa, não avisei. Abro o msn e tem mensagem off dizendo que se me encontrasse por lá eu seria linchada. Nem precisa dizer que fiquei com medo de encontrar com ele, né? Fecha parênteses.

Entramos na Dioxy. Nós e o restante do mundo.
Com toda a sorte que Deus me deu, no primeiro passo encontro o tal amigo que queria me linchar (tinha esquecido de como ele é gato). Me deu um abraço bem cheiroso e nem me bateu.

Escolhemos um canto, compramos bebidas, e bora dançar. Mas era minha primeira vez ali e né, queria circular. Fomos subindo. O terceiro andar tava ainda mais lotado, do tipo que tem que fazer contorcionismo pra conseguir ir de um lado ao outro. Tocando música gaúcha, como se fosse possível dançar. Olha, festa vazia é chata, mas superlotação... Voltamos lá pra baixo.

Daí começam as merdas da noite. Paramos num lugar que dava de dançar. Pudera, ninguém ia querer ficar naquele canto. Praticamente escondidas, ao lado do banheiro feminino. A porta da sacada aberta com um vento encanado desgraçado. Dançamos pra espantar o frio. Mas a banda cantando “você é luz, é raio estrela e luar” não tava ajudando muito a esquentar. Na escala de coisas que acabam com o meu humor, o frio lidera disparado. A gente começa a contrair os músculos pra enganar o frio, sabe? E fica com dor das costas. É bem legal. Então resolvi sentar um pouco e achei uma cadeira ótima, de frente pro palco. Sentei e encharquei a bunda. Parecia que tinha feito xixi na calça. Mas já que ninguém ia botar a mão na minha bunda mesmo (droga!), não faz mal.

Apelidei carinhosamente o nosso canto de o “cu da boate”. A única coisa que vi a noite inteira foi mulher apurada pra ir no banheiro.

Uma amiga empolgadíssima, se sentindo a própria da música “ela é puro êxtase”. Mas tinha álcool de menos e frio demais no meu corpitcho, não dava de acompanhar. Lá pelas três e meia fomos pra casa. Ahhhhh a minha cama! Amo tanto!

No dia seguinte, meu amigo/gato/cheiroso diz que me procurou e não achou, que me escondi. É claaaaro que não me escondi. Ou sim. Ah, sei lá. Só sei que foi assim.

Tomara que na quinta vem tenhamos mais sorte.
Por favor, deseje-me sorte! Tô precisando tanto ultimamente.

*******


Esse post é especialmente para a minha amiga-prima-leitora Rafaela! Porque se não fosse ela me perguntar todo dia: atualizou? não sei o que seria do blog...
Agradeça (ou não) à Rafa!

29 de abr de 2009

Descoberta em dose dupla

Homem é preso por não conseguir engravidar mulher do vizinho


Deixa eu ver se entendi:

O cara, que já tem dois filhos, é contratado pra engravidar a vizinha. Recebeu dois mil euros e passou seis meses comendo a mulher do outro três vezes por semana.

Lá pelas tantas, descobriram que é estéril.

***

Estéril e corno.

27 de abr de 2009

Dia da Sogra

Amanhã é Dia da Sogra. Como não tenho uma sogra para falar mal, lembrei de uma situação que me aconteceu recentemente e me fez pensar até onde chega a idiotice masculina.

Estava eu, linda e loira indo pra casa de uma amiga, quando passo em frente a um bar. Um sujeito, com seus trinta e poucos, quarenta anos, fica me olhando e:

- Mamãe.

O sujeito disse: mamãe. Poderia ter dito gostosa, feiosa, qualquer coisa, mas... “mamãe”. O que faz um cara dizer isso?

Será que ele me achou com cara de bebê e queria levar pra “mamãe” cuidar?
(se eu fosse maliciosa pensaria que tava mais pra dar chupeta ao bebê, mas minha inocência não me permite pensar isso).

Para os homens que leem o blog, fica a dica: nunca lembrem de sua mãe, ou melhor, nunca façam a mulher lembrar que você tem mãe, quando quiserem paquerar/namorar/ou só comer mesmo.

A conta é simples: mãe = sogra.

Broxante.


***

Em tempo: sim, existe uma sogra perfeita - minha mãe.
Aceita-se sugestões de genro. Obrigada.

23 de abr de 2009

Mimimi

Olha, vou te contar. A semana tá uma merda. Sabe quando você tem muita coisa pra fazer e empaca? Pior que mula. Mas o trabalho tem que render, então forço o cérebro até sair fumacinha. Como diz o Luciano, pelo menos tenho neurônios. Isso é que é otimismo, né, loiro?

Talvez seja uma crise de preguiça. Talvez eu só precise de férias. Já contei que vou passear no mês que vem? Nada como companhias aéreas enlouquecidas atrás de passageiros para fazer a alegria dos pobres haha
Depois conto detalhes. Tomara que eu volte cheia de detalhes sórdidos.


Ótima quinta aí.

19 de abr de 2009

Malu e my father



Para a campanha de sabonetes líquidos da Lux, a Unilever fez pesquisa, os publicitários desenvolveram as peças, foram gastos R$ 10 milhões.

Daí meu pai:

- Mulher que eu acho linda é a Malu Mader. Tá fazendo propaganda de um sabonete agora. Nem sei qual o sabonete, não dá de prestar atenção.

****

Homens.

Ainda bem que a mulherada nota.
(Não sem antes xingar a Malu por ser tão linda, é claro).

15 de abr de 2009

Coisas de quarta...categoria

Que lindos os comentários do post passado! Como tenho amigos inteligentes e sensíveis. Adorei!

A semana tá maluca... tô escrevendo tanto que meus neurônios já ameaçam uma greve. Mas para não deixar sem post, fiz uma picaretagem... na maior cara de pau mesmo. Separei algumas twittadas de pessoas engraçadinhas que eu sigo no Twitter para alegrar o dia de vocês.

Kisses

**

@ocriador

Alguns padres, atualmente, tem tanto apreço pela Coroa de Espinhos que não podem ver um coroinha.


@silviolach

Evo Morales põe fim à greve de fome. A diferença para a greve de fome do Garotinho é que ele não vai precisar voltar a comer a Rosinha.


@rafinhabastos

No HoraCerta: "Traficantes comemoram aniversário com tiros em asilo". Tem gente que leva muito a sério este lance de "apagar as velhinhas".

@danilogentili

Ir no churrasco e levar salada é o mesmo que ir no swing e levar a Preta Gil. Vc vai comer o q levaram mas ninguém vai comer o que vc levou.


@piangers

Tirando aquele cadáver que enterrei em 96, uma das coisas que me dá mais culpa é quando alguém fala que escolheu jornalismo por minha causa

RT @nikolasbottos Escolher jornalismo por causa do @piangers é como decidir virar pai por causa do Alexandre Nardoni.

**

Ei, você aí. Se estiver no Twitter me avise!
Follow @kellenrodrigues

Bora trabalhar.