Páginas

25 de jan de 2010

Minhas adoráveis ex-namoradas

Calma, o título não é uma revelação gay. É o filme que assisti neste final de semana. Água com açúcar como todos os filmes que eu alugo.


Conta a história de um bonitão que pega geral, mas não se amarra em ninguém (inédito, não?). Lá pelas tantas aparece o fantasma de uma ex (parece redundante) e leva o moço pra uma viagem de volta ao passado.

Ele descobre que sempre foi apaixonado pela mocinha do filme (a Jenifer Garner) e fugiu dela por acreditar na teoria "o poder está com quem se envolve menos".

A lógica é simples: quem estiver menos envolvido tem o controle da situação, sofre menos. Daí ele viu que estava se apegando, picou a mula. (aliás, que mula!)

Mas é Hollywood. Ele chega a conclusão de que ter o "poder" não é ter felicidade. Ser feliz é estar com ela e eles casam.

Bem, o filme acaba e não mostra depois do casamento, que, dizem, é quando passa de comédia-romântica com pornô, pra algo em torno do suspense e terror. Dizem.



Tá, por que eu tô falando tudo isso?

Primeiro porque eu errei a data de entrega e tive que pagar duas locações. Tô com raiva e esse filme tem que servir pra alguma coisa, nem que seja um post.

Segundo porque, parando pra pensar, a teoria até faz sentido: Quem se envolve menos, sofre menos. Só que eu preciso discordar: Quem se envolve menos, aproveita menos. Veja bem: de que adianta eu ter alguém louco por mim se eu não for por esse alguém? Ego? O bom de estar apaixonado é ficar suspirando.
O problema é quando se deixa a razão de lado. Não é porque se está apaixonado que tem que guardar a inteligência na gaveta. Mas privar-se daquele arrepio só em chegar perto, daquela sensação de “vale a pena”, por puro medo de se envolver, é tão ridículo que dá abuso.

Talvez eu seja apenas uma sentimentalóide influenciada pelos roteiros de Hollywood e da Globo. Prefiro achar que sou alguém que não sai por aí procurando por amor. Mas que também não se esconde embaixo da cama quando ele aparece.

Sem essa de felizes para sempre. Os filmes nunca mostram o que vem depois. Então que seja eterno enquanto dure. Intenso enquanto dure. Se “o pra sempre, sempre acaba”, não sou eu que vou dizer. Me diga você... se souber responder.

;-)

19 de jan de 2010

Pensando e andando...

Tô pensando em coisas sérias ultimamente. Não que antes só pensasse em besteiras, mas sabe como é... quando a idade vai batendo na porta é preciso repensar algumas coisas.

Sabe quando você chega numa encruzilhada e precisa escolher uma rua? A menos que você só queira ficar ali mesmo e fazer um despacho, terá de deixar uma de lado e seguir...


Pois é. Não nasci pra macumbeira.

E lá vou eu...

Vem comigo?



*******


"Minha vontade é voltar atrás, onde caí
E recomeçar tudo de novo
E nunca mais deixar
Meu coração se esfriar..."

12 de jan de 2010

Mico Meu (parte 2)

O Mico Meu de hoje é contado pela Jaque. Jornalista, amiga minha e de algumas figuras, digamos, engraçadinhas.


"Tenho uma colega da facul assumidamente homosexual e muito brincalhona. Sempre tiro sarro chamando ela de Copélia (personagem do humoristico toma-lá-da-cá) porque tudo ela diz que fez pelada, que em tal situação estava pelada e tal.

Aí na volta às aulas encontrei ela num corredor lotado no primeiro dia de aula e ela me cumprimenta de maneira inusitada:

-Oii Jaqueee....viu só? Hoje estou vestida!

Todo mundo olhou pra mim..."


**

Já dizia o poeta... "é veado, mas é meu amigo".





Tem um mico? Conta aí!

:-D

7 de jan de 2010

Mais Você!

Esqueça as cebolas, tomates, salsichas.

É assim que se faz cachorro quente!



Pandora, a cachorra da minha irmã.


.

5 de jan de 2010

Inaugurando 2010

Eu voltei. Agora pra ficar. Porque aqui... ah, vocês já sabem...

Final de ano é aquela coisa clichê. Um tal de avaliar o que fez, o que deixou de fazer e jurar que vai fazer muito mais e melhor no ano novo. Sabe o que eu acho disso tudo? Cada um tem o ano que merece. Sim, 2010 promete muita coisa boa, mas a gente só terá o que fizer por merecer. Mãos a obras, tropa!

Ok. Não é um blog de autoajuda. Vamos ao que interessa (ou não).

**

Dia 3 foi meu aniversário. Cheguei aos 25. A idade em que a mulher entra pro submundo dos anti-rugas. Diz a Magali que o creme vira nosso amigo. Amigo?? Já viu quanto custa um Renew, um Chronus??

Daí me sai um tersol. Uma bolota amarela no olho. (Não confunda com hemorróida, é no olho mesmo). Eu tinha combinado de ir tomar caipirinha com a Deise, mas fico tão chata “doente”... e ela acha que sou legal. Sei lá, melhor não desiludir uma pessoa que está prestes a ganhar uma barriga nova.

**

Voltei ao trabalho e ganhei bolo. Fiz uma foto pra provar. Se bem que... olhando daqui... aquelas nozes parecem tão estranhas...



Daí minha prima chama pra contar suas desilusões amorosas. É que o ex mandou um e-mail falando: “me esquece pq eu nem lembro mais que vc ezistil”.

Na boa? Um cara que escreve “ezistil” merece MESMO ser esquecido.
E prima minha tem mais é que ficar bem longe de burro assim. Amigas também. Porque né, o sujeito tem que saber usar a língua... ;-)

**

Então tá, hora de voltar a fingir que tô trabalhando. Vou tentar cumprir o que falei em janeiro de 2008. Enquanto isso, use e abuse dos comentários.

Ainda tô aceitando presentes de aniversário ou doação em dinheiro... já falei, né.. Renew tá caro...

E feliz ano novo!!!