Páginas

5 de ago de 2010

Coisas que minha mãe não deve ler

Noite dessas combinei de encontrar uma amiga num barzinho e depois ir pra uma festa. (Na verdade, já era bem umas onze da noite quando me liguei que a coisa mais animada que eu fazia era dar F5 no twitter. Bora olhar o movimento, como se diz no interior. )

Chapinha daqui, blush dali... desci pra pegar um táxi.

Daí que moro em plena Paulista, que é um poquinho beeem movimentada. Passa táxi toda hora e ainda tem uma parada na esquina. Ah, e um ponto de ônibus bem na frente de casa (anotou tudo, senhor bandido?). Já na rua, alguns segundos de indecisão: ir até a parada ou esperar passar um táxi aqui mesmo?

Como em toda cidade grande que se preze, tem sempre alguém pra te alertar sobre a violência, a insegurança e tudo o que pode acontecer com uma moça inocente (cof, cof) sozinha na madrugada. Uma mulher na parada me dizia tudo isso enquanto esperávamos um sujeito suspeito se afastar. Eis que nisso, aparece um táxi e para na minha frente.

- Você fez sinal pra ele?
- Não.
- E vai entrar no carro assim mesmo?
- Ah, uma pessoa parada na beira da avenida a essa hora olhando na direção dele...
- Boa sorte então.

Ok. O boa sorte dela me deu arrepio.

O cara dá a partida, falo o endereço e o homem:

- É hoje o show do Victor e Leo?
- Hã? Não sei...
- E tava legal aquele dia?
- Que dia? (ai meu Deus, o cara é louco)

O sujeito vira pra trás e olha pra minha cara.

- Ahhh, não é você!!!
- Eu o quê?
- Não foi você que me chamou? Ai, desculpa, moça. Mas vou ter que voltar.

Deu ré. Voltou. E três moças emperequetadas vem em direção ao carro. Sim, fui devolvida pelo taxista. Humilhação!

Ele quer chamar outro pra mim, mas a mulher maravilha aqui diz que não precisa, que vai até a parada da esquina. (torcendo pra que a fulana no ponto de ônibus não tivesse visto a cena).
Chego na parada...cadê??? nenhum táxi. Nenhum!!

Mas tinha uma viatura com dois guardas (um deles charmosérrimo). Pois é justamente esse que me diz:
- O que você faz sozinha uma hora dessas na rua? É perigoso.
- Mas eu só dei dois passos. Vou pegar um táxi ali ó (vi uma filinha de táxis um pouco mais na frente, ufa!)

Atenção! Se você for a minha mãe, pare de ler por aqui!

Entro no táxi, falo o endereço... e lá vamos nós!

- Moço, não tem que ligar o taxímetro?
- Ham? hum, é (sic) eu não liguei (sic). Quanto que dá bandeira dois até lá?

Po, e eu é que sei???

Nessa hora um bafo de cachaça invade o carro. O sujeito enrola a língua... era tudo o que eu precisava: um taxista bêbado!

Ele atende o celular, dirige com uma mão só, faz zigue-zague e fala igualzinho ao Tom Cavalcanti fazendo o João Canabrava, sabe?

Fiquei com o cu coração na mão.

Mas o que seria pior: ir com um motorista bêbado ou dizer “parem o mundo que eu quero descer?” Bom, ficar sozinha na rua quase uma da manhã num lugar desconhecido não me pareceu uma boa ideia. Segura na mão de Deus...e vai.

Óbvio que ele não achava o tal bar. Óbvio que demos volta a mais pra prolongar a tortura. E, claro, óbvio que eu quis ir correndo pra festa pra esquecer tudo isso.


Bom, mas se eu tô aqui contando é porque tudo acabou bem. Já tô pronta pra outra! Digo, outra festa... mas da próxima vez, saio de casa as seis da tarde... e de metrô! ;-)

9 de jul de 2010

São Paulo da Garoa (parte 2)

Volta e meia eu entro numa nóia de parar de escrever bobagem e manter a linha de menina séria. Depois que uma amiga contou que uma fonte chegou na entrevista sabendo detalhes sobre ela, corri pro google e vi que meu passado me condena. Sobrou pro blog. Férias pra ele.

Mas daí aparecem milhares de leitores a Aline pedindo pra atualizar e... tô aqui.


Vamos ao que interessa! (ou não...)


A vida em São Paulo tá bem boa. Correria, trabalhos, gatinhos, ótimos contatos, novas amizades. O que pega é a mania deles de tucanar as coisas. Não tem nada mais tabajara do que festa junina em São Paulo. O quentão não é de vinho. O que vai vinho é "vinho quente" e não vai cachaça. Então temos: quentão: cachaça com gengibre. Vinho quente: vinho... quente.
Daí quando eu digo que tem que misturar os dois... parece que sou um ET.
E o milho verde? é servido num prato e comido de colher. Ridículo!!!

Sem falar que vai purê de batata no cachorro quente. Hahaha

**
Mas já que tô falando em comida, os preços são estupidamente sacanas nos barzinhos da vida. A capirinha que eu pagava 8, 10.. aqui é 15, 19... o jeito é ser natureba.

**

Ainda falando em comida, fiz essa foto um dia desses no ônibus:




Porque eles gostam das coisas muito bem explicadinhas nos seus míííínimos detalhes.

;-)


Então é isso. Beijo, abraço e aperto de mão.

1 de jun de 2010

São Paulo da garoa

Pronto. Já to de casa nova, cidade nova, estado novo. A minha voz continua a mesma, mas o meu sotaque... tá, ainda não tem diferença, mas sendo catarinense, morando com cearenses e trabalhando com paulistas, imagina o que vai dar? "oxe, mó legal, né?".

Agora não tem mais a eletrizante viagem de metrô. Sim, ainda tem metrô pq né, a pobreza ainda pega, mas é uma linha bem mais tranquila. Depois do metrô pego uma tal de Ponte Orca e um trem. Em apenas 40 minutos tô no trabalho. E isso é uma mixaria, pode crer.

Falando em trabalho, sabe quando vc olha pra um lugar e pensa: será que um dia eu chego lá? Tô aqui, onde eu sonhava até bem pouco tempo. Eita vida que dá voltas! Mas não pedi autógrafo pra ninguém. Tô bem comportadinha.

*

Ontem eu e a Deise fomos no mercado. Fiquei rodando procurando banana branca. Mas aqui é banana prata. Tucanaram a banana branca! Humpf!

Tirando as pessoas que não te enxergam, o restante é bem simpático. Eu fico olhando com cara de boba pra cumprimentar, mas acho que eles não têm o hábito de dar bom dia. Em compensação, tem aqueles que seguram seus cadernos no metrô. :)

Tá tudo bem. Tudo tão bem que nem é bom falar muito.

(Ah, mas continuem torcendo pra eu ficar rica e conhecer morenos-altos-bonitos-e-sensuais, ok?)

;-)

28 de mai de 2010

Diário (quase) de bordo - Parte 2

Agora falta pouco. Em dois dias mudo de endereço. Só sei que tô numa série de despedidas que tô até desconfiada. É festinha, churrasco, chopes... que tanto que comemoram? #emomodeon

Mas conto tudo quando chegar. O relógio tá de sacanagem.
Inclusive tô devendo dois memes: do Rafa Belo e da Ju Dacoregio. Promessa é dívida. Vou pagar. Mas sabe como é... em prestações que a situação tá difícil... ;-)

**

Falando em correria, essa semana fui em Floripa, a terra da minha infância. Revi uma grande amiga e fiz entrevista numa empresa muito bacana com diretores bem gatos gentis e uma história incrível. Em breve em uma banca perto de você!

**

Esse post inútil é só pra dizer que tô aqui e que o "diário" (não pensei em nome ainda) não virou lenda.

Agora vou ali, tomar chope de novo. :D

14 de mai de 2010

Diário (quase) de bordo

Acho meio pré-histórico esse negócio de usar blog como Querido Diário. Nunca quis que esse aqui fosse um - apesar de muitas vezes fazer exatamente isso: falar de mim.

Mas estive pensando que, agora com a mudança (já explico), pode ser uma maneira de contar aos amigos o que anda acontecendo de bom, de ruim, de engraçado... Entre uma postagem e outra - ou melhor, entre a falta de uma postagem e outra - vou contando historinhas da "vida nova". O que acha? Se achar uma merda, tudo bem: Alt F4 e segue toda vida reto.


*

Em alguns dias "troco" Santa Catarina por São Paulo. Essa mistura de santos tá me dando um trabalhão! Tanta coisa pra arrumar, tanta gente pra me despedir. Já tô com saudade dos amigos que ficam.
Amigos tipo a Deise Duarte que eu convido pro café-chororô de despedida e ela responde me chamando de vaca medonha pq vai sentir saudade.
Amigos como a Juli, que me fez gostar de novo de ouvir a Sandy cantando. (Ela não é boa influência musical, mas é a melhor colega de apê que alguém pode ter!)
Amigos como a Aline - e nossos chopes no shopping pra falar mal de sogra, ou ex-sogra, ou dos filhos delas, ou... de quem passar na frente.

Saudade de todos os queridíssimos de Crici City.

Por isso instituo a série "Querido Diário" (tá, vou pensar num nome menos brega).

Até daqui a pouco.
Beijo no queixo.

6 de mai de 2010

Enquanto isso no MSN...

Luciano e eu - trocando cornetas desde 2006.

kellen diz:

vcs tem que ir pra sp depois

tu que gosta dessas coisas de sertanejo

tem o Vila lá né

que é assim pra gente com gosto duvidoso que nem tu

Luciano diz:

vai caga!

kellen diz:

vou mesmo, ouvindo os sertanejos lá vai me dar uma dor de barriga

Luciano diz:

ok

vou me lembrar disso...

ai qdo tu vir pra Cascavel, vou te levar nas festas aqui, e tu vai mudar o teu pensamento

soh cowboy e cowgirl pra todo lado

kellen diz:

então tu ta se sentindo em casa aí né

Luciano diz:

baa... demais

tipo tu no Rio!

kkkkkkkkkkkkkkkkk

kellen diz:

tá me chamando de trombadinha?


***


Pq quem tem amigos, tem tudo! :)



28 de abr de 2010

Menas

Da série "Historinhas de viagem":

Na ida a São Paulo conheci pessoalmente a queridona Deise Anne. (amiga há um tempão pela internet - comprovei que ela existe mesmo).

Como meninas cultas que somos (quié?) fomos ao Museu da Língua Portuguesa. Tinha uma exposição muito bacana: "Menas. O certo do errado. O errado do certo."

Super lembrei do blog. Em fazer várias fotos legais pra mostrar por aqui... o problema é que não pode usar flash e minhas fotos ficaram um pouquinho sem foco. Mesmo assim...




*

A exposição trata dos erros nossos de cada dia...



Traz palavras de sabedoria...




Dá soco no estômago...




E provoca reflexão...



****

Gostou? Tem um vídeo bem legal, fotos e tudo mais aqui ó.



Alô, alô! Promoção: deixe seu comentário e receba um reply inteiramente grátis. Só não xinga a minha mãe. ;-)

Kisses.

23 de abr de 2010

Metrô

Quem reclama de engarrafamento é porque nunca andou de metrô. Só pode!
Ok, é estressante, mas no carro não tem um estranho fungando no seu cangote ou soltando bafo na sua cara. Quem pega metrô na hora do pico tem passagem pro céu!

Explico: Nos dias que estive em São Paulo fiquei na casa da Rafa, minha prima amada-idolatrada, mas que mora exatamente no lado oposto de onde eu precisava ir todo santo dia. O jeito foi deixar a frescurite de lado e fazer o que fazem todos os pobres trabalhadores (pobres) do Brasil: transporte público.

Etapa 1 - Entre se puder.
Parece fala de virgem, mas não é. Entrar no metrô é uma das tarefas mais difíceis que se pode fazer na vida. Isso porque as mulas se aglomeram na porta, ignorando a existência de um lugar espaçoso chamado corredor.
O trem chega e a multidão se posiciona. Tendo ou não espaço, vão se enfiando de qualquer jeito, empurrando quem está dentro e quem está fora também. Toca o sinal, a porta vai fechar, mas tem sempre um apressadinho que pula e vai com uma ponta de rabo pra fora do trem. Isso porque o tempo entre um e outro é muito longo, sabe. Incríveis um ou dois minutos.

Etapa 2 - Dentro do trem.
Corrimão? quem precisa disso? não há espaço pra cair. Sabe aquela expressão "não tem um chão pra cair morto?" então...
De repente, sinto uma coisa dura cutucando ali atrás. Empurra pra lá, se esquiva pra cá. Ufa! era só um guardachuva.
Olho pra frente e tá lá o Luciano Huck sorridente mandando fazer Estácio. Tá rindo porque não é contigo, né querido?
Situação controlada. Pelo menos, até chegar a próxima estação...

Etapa 3 - Quem tá fora quer entrar, quem tá dentro quer sair.
Não podemos esquecer que em todas as estações há gente querendo entrar... e gente querendo sair. Mas quando chega na Sé a situação piora infinitos porcentos. Salve-se quem puder porque não tão nem aí se você não quer descer ali. Ficou na frente, vai junto.
Conseguiu ficar no trem, beleza. O Luciano Huck continuará lá rindo pra você. Loucura!

Etapa 4 - Desembarque.
Chega a estação final. (Sim, eu ia até a última estação). Mais uma filinha: pra subir a escada. (Filinha é modo de dizer porque eu tô boazinha hoje). Daí é hora de seguir as placas e fazer a transferência pro trem da CPTM. O que? não contei não? Ainda tenho dois trens pela frente!


Quase duas horas depois de sair de casa, chego no trabalho. E só um chocolate quente salva!

Depois dessa temporada, revi meus conceitos de "perto" e "longe". Decidi que preciso morar perto. Perto tipo no máximo uma hora, sabe?

:-P

****

Ok, encontrei muita gente educada e simpática também. Por fim, já tava até dando informações. Espero não ter mandado ninguém pro lugar errado...


No próximo post: "Menas".

1 de abr de 2010

Vou ali e já volto

No começo do ano eu disse que 2010 seria de mudanças, lembra? Se vão dar certo ou vou quebrar a cara, bem, coméquieuvousaber? Só sei que to indo ali. Dar início ao meu plano perfeito de dominar o mundo.
E viagem é aquela coisa, né.... a mala volta cheia de historinhas pra contar!

Deseje-me sorte!
(sorte, dinheiro e morenos-altos-bonitos-e-sensuais também, por favor)

Até mais!

25 de mar de 2010

Falando sério

Recebi esse texto por e-mail e fiquei com uma baita preguiça de ler. Mas "arrisquei" e gostei logo na primeira linha. Leia. Nem precisa mexer o traseiro gordo. Só clica em cima da imagem.
Eu recomendo. ;-)


8 de mar de 2010

Anúncio

No MSN é assim... cada um anuncia o que precisa.

























Mas vai da gente ler direito.








Maldita mente suja!

;-)


***

Se você é meio ceguinho clica em cima da imagem.

.

5 de mar de 2010

Dormir no ponto

Tô com a incômoda sensação de ter dormido no ponto. Agora acordo com aquela dor no corpo e consciência de quem fez cagada. Na verdade, não é o que fiz, mas o que deixei de fazer.
Daí o despertador toca e é hora de sair correndo atrás do bonde. Desastrada do jeito que sou, vou tropeçar muitas vezes até alcançar o bendito. Mas eu alcanço e ainda vou sentar na janelinha. Anota aí.



Metáforas à parte, a lição que fica pra mim, e tomara que pra você também, é: não durma no ponto. Permita-se no máximo um breve cochilo se estiver muito cansado, mas não ferre no sono. Vai fazer diferença.


#lamentandoumanotíciaruim #comemorandoumanotíciaboa


Bom final de semana!

=)

3 de mar de 2010

Mico Meu

Conhece alguém que consegue levar dois big tombos no mesmo dia? Muito prazer, Kellen Rodrigues.

Ontem foi um dia de desastres.

Fiz visitas em duas minas de carvão... andei pra lá e pra cá em pedrinhas, barro seco, subi escadas com aqueles furinhos que engalham o salto, sabe? (sim, a gênia foi de salto). Mas não caí, não tropecei, nem me sujei. Orgulho de mim.

Indo pra casa no final da tarde - correndo porque tinha um evento chique pra fotografar à noite – tropeço numa calçada esburacada. Câmera pra um lado, bolsa pro outro... fiquei de quatro no meio da rua. O instinto foi jogar a mão no chão pra proteger o rosto (sei lá, mas o que me veio na cabeça foi: não posso quebrar o dente da frente. Questão de estética né, gente). E a mão doeeeeeu. Daí pego o desgraçado do tamanco e adivinha? Arrebentou. Com as pessoas me olhando e perguntando se estava tudo bem eu só conseguia rir e mostrar o safado arrebentado enquanto andava descalça em pleno Centro.

Chego em casa ralada, me arrumo correndo e vou pro evento chique. Lá pelas tantas resolvo ir ao banheiro que fica no final da escadaria. Veja bem: escadaria. Quando vi, tava no chão DE NOVO. Agora, além da mão inchada, ganhei dois joelhos roxos. Ô dó.

Volto pro salão e vou contar o episódio pra um conhecido, o Fernando. Nada de mais, se ele não tivesse corrigido que o nome dele é Eduardo.

Mas tudo bem. Cheguei em casa viva. Hora de tirar a roupa... daí descubro que andei pra lá e pra cá no evento chique com a etiqueta da blusa nova aparecendo... o preço, o tamanho...

Desisto dessa terça-feira. Vou dormir que é mais seguro. Daí sonho que um velhinho tarado queria me agarrar (???).


Bem, já é quarta. Levantei e vim trabalhar. Mas o dia é longo.

Oremos.


*********




Ei, agora tá na sua vez. Tem um mico? Conta aí!!

.

23 de fev de 2010

NOB 4

Sabe aquele @ que você segue no twitter, troca mensagens, se acha até meio íntimo, mas nunca viu a fuça? Ou então aquele que você já conhece, mas sabe como é... com a correria, o trabalho, a preguiça...

Chegou a hora de conferir cada avatar pessoalmente. Botar o papo em dia sem ter que controlar caracteres e dar quantos replies quiser.


É o NOB 4 - Encontro de twitteiros de Criciúma e região.

Tá sendo tão, mas tããão divulgado pela @priscilaadv e seus followers, que tô achando melhor transferir pro HH. Hã? Hã?

O NOB começou com o Mário Soma (@msoma) quando ainda éramos bebês no twitter. Agora somos mocinhos... é um motivo a mais para beber, digo, trocar ideias.


Então fica combinado assim: todo mundo pro La Bodega!

E lembre-se das dicas básicas:
Se beber, não twitte.
@ de bêbado não tem dono.
Não dê a DM no primeiro RT.


Até lá!


.

22 de fev de 2010

Selinho


A Camila, do blog Peripécias da Kaa, me deu esse selo. Coisa querida!
E fez uma pergunta: o que não tem preço pra você?

Hmmmm.... Eu diria que conhecer pessoas maravilhosas através de um blog...NÃO TEM PREÇO! Mesmo atualizando pouco, mesmo sendo sem noção algumas (várias) vezes, conheci pessoas incríveis por aqui. Algumas viraram amigas na vida "real". E isso, definitivamente, não tem quem pague.

Valeu, Camila! =)


E passo a bola para:

Deise - Jô chama eu

Jamylle - Com a palavra

Deise Anne - Muito me agrada (ela já ganhou, mas merece outro)

Lene - Tiradas e atiradas

Filipe - Assuntos diversos

Aparecida

A – Ei, você sabe por onde anda a Kellen?

B – Quem?

A – Aquela que tinha um blog que nunca era atualizado.

B – Ahhh, sei. Ouvi dizer que encontrou Jesus.

A – Jesus? Não, não. Esse foi a Madonna mesmo.

B – Vai ver ela cansou de fazer piada sem graça.

A – Ou ficou muito rica.

B – Rica? Sendo jornalista? Impossível.

A – Verdade. Mais fácil ter ido pra uma dessas igrejas de pastores humoristas pra aprender stand up.

B – É, pelo menos tá na moda...

A - Po, mas quem é que eu vou xingar agora?


***


Ei, xinga não que eu tô aqui. O ano começou eletrizante. Mas eu sempre volto. Com gracinha sem graça, mas volto.

Sabe por quê? Porque eu adooooro vocês, meus (cinco) leitores!

(e porque a Rafa pergunta cada vez que me vê no MSN e eu já não tenho mais desculpa).


;-)

25 de jan de 2010

Minhas adoráveis ex-namoradas

Calma, o título não é uma revelação gay. É o filme que assisti neste final de semana. Água com açúcar como todos os filmes que eu alugo.


Conta a história de um bonitão que pega geral, mas não se amarra em ninguém (inédito, não?). Lá pelas tantas aparece o fantasma de uma ex (parece redundante) e leva o moço pra uma viagem de volta ao passado.

Ele descobre que sempre foi apaixonado pela mocinha do filme (a Jenifer Garner) e fugiu dela por acreditar na teoria "o poder está com quem se envolve menos".

A lógica é simples: quem estiver menos envolvido tem o controle da situação, sofre menos. Daí ele viu que estava se apegando, picou a mula. (aliás, que mula!)

Mas é Hollywood. Ele chega a conclusão de que ter o "poder" não é ter felicidade. Ser feliz é estar com ela e eles casam.

Bem, o filme acaba e não mostra depois do casamento, que, dizem, é quando passa de comédia-romântica com pornô, pra algo em torno do suspense e terror. Dizem.



Tá, por que eu tô falando tudo isso?

Primeiro porque eu errei a data de entrega e tive que pagar duas locações. Tô com raiva e esse filme tem que servir pra alguma coisa, nem que seja um post.

Segundo porque, parando pra pensar, a teoria até faz sentido: Quem se envolve menos, sofre menos. Só que eu preciso discordar: Quem se envolve menos, aproveita menos. Veja bem: de que adianta eu ter alguém louco por mim se eu não for por esse alguém? Ego? O bom de estar apaixonado é ficar suspirando.
O problema é quando se deixa a razão de lado. Não é porque se está apaixonado que tem que guardar a inteligência na gaveta. Mas privar-se daquele arrepio só em chegar perto, daquela sensação de “vale a pena”, por puro medo de se envolver, é tão ridículo que dá abuso.

Talvez eu seja apenas uma sentimentalóide influenciada pelos roteiros de Hollywood e da Globo. Prefiro achar que sou alguém que não sai por aí procurando por amor. Mas que também não se esconde embaixo da cama quando ele aparece.

Sem essa de felizes para sempre. Os filmes nunca mostram o que vem depois. Então que seja eterno enquanto dure. Intenso enquanto dure. Se “o pra sempre, sempre acaba”, não sou eu que vou dizer. Me diga você... se souber responder.

;-)

19 de jan de 2010

Pensando e andando...

Tô pensando em coisas sérias ultimamente. Não que antes só pensasse em besteiras, mas sabe como é... quando a idade vai batendo na porta é preciso repensar algumas coisas.

Sabe quando você chega numa encruzilhada e precisa escolher uma rua? A menos que você só queira ficar ali mesmo e fazer um despacho, terá de deixar uma de lado e seguir...


Pois é. Não nasci pra macumbeira.

E lá vou eu...

Vem comigo?



*******


"Minha vontade é voltar atrás, onde caí
E recomeçar tudo de novo
E nunca mais deixar
Meu coração se esfriar..."

12 de jan de 2010

Mico Meu (parte 2)

O Mico Meu de hoje é contado pela Jaque. Jornalista, amiga minha e de algumas figuras, digamos, engraçadinhas.


"Tenho uma colega da facul assumidamente homosexual e muito brincalhona. Sempre tiro sarro chamando ela de Copélia (personagem do humoristico toma-lá-da-cá) porque tudo ela diz que fez pelada, que em tal situação estava pelada e tal.

Aí na volta às aulas encontrei ela num corredor lotado no primeiro dia de aula e ela me cumprimenta de maneira inusitada:

-Oii Jaqueee....viu só? Hoje estou vestida!

Todo mundo olhou pra mim..."


**

Já dizia o poeta... "é veado, mas é meu amigo".





Tem um mico? Conta aí!

:-D

7 de jan de 2010

Mais Você!

Esqueça as cebolas, tomates, salsichas.

É assim que se faz cachorro quente!



Pandora, a cachorra da minha irmã.


.

5 de jan de 2010

Inaugurando 2010

Eu voltei. Agora pra ficar. Porque aqui... ah, vocês já sabem...

Final de ano é aquela coisa clichê. Um tal de avaliar o que fez, o que deixou de fazer e jurar que vai fazer muito mais e melhor no ano novo. Sabe o que eu acho disso tudo? Cada um tem o ano que merece. Sim, 2010 promete muita coisa boa, mas a gente só terá o que fizer por merecer. Mãos a obras, tropa!

Ok. Não é um blog de autoajuda. Vamos ao que interessa (ou não).

**

Dia 3 foi meu aniversário. Cheguei aos 25. A idade em que a mulher entra pro submundo dos anti-rugas. Diz a Magali que o creme vira nosso amigo. Amigo?? Já viu quanto custa um Renew, um Chronus??

Daí me sai um tersol. Uma bolota amarela no olho. (Não confunda com hemorróida, é no olho mesmo). Eu tinha combinado de ir tomar caipirinha com a Deise, mas fico tão chata “doente”... e ela acha que sou legal. Sei lá, melhor não desiludir uma pessoa que está prestes a ganhar uma barriga nova.

**

Voltei ao trabalho e ganhei bolo. Fiz uma foto pra provar. Se bem que... olhando daqui... aquelas nozes parecem tão estranhas...



Daí minha prima chama pra contar suas desilusões amorosas. É que o ex mandou um e-mail falando: “me esquece pq eu nem lembro mais que vc ezistil”.

Na boa? Um cara que escreve “ezistil” merece MESMO ser esquecido.
E prima minha tem mais é que ficar bem longe de burro assim. Amigas também. Porque né, o sujeito tem que saber usar a língua... ;-)

**

Então tá, hora de voltar a fingir que tô trabalhando. Vou tentar cumprir o que falei em janeiro de 2008. Enquanto isso, use e abuse dos comentários.

Ainda tô aceitando presentes de aniversário ou doação em dinheiro... já falei, né.. Renew tá caro...

E feliz ano novo!!!