Páginas

30 de dez de 2008

Tá quase...

É 30 de dezembro e quero mais é que esse ano vá logo embora. Não que tenha sido uma seqüência de tragédias. Nada disso. Foi até legalzinho. Mas se teve um ano que me senti complicada, foi esse, sem dúvida alguma.
Nem quando saí de casa aos 18 anos e fui rachar aluguel com totais desconhecidas, me senti assim perdida. Nem quando minha família foi morar a quilômetros e fiquei sem parentes por perto me senti tão sozinha.

Foi uma confusão na cabeça, no coração... sem saber o que sinto, o que realmente quero. Mas tive o ano todo pra pensar. E agora, que as horas se arrastam, que 2008 dá aquele tchauzinho de miss, e que conto as horas pra pegar o engarrafamento pra praia, posso dizer que sei. Finalmente descobri o que sinto, o que quero e o que tenho que fazer. Tava na hora, né? Nem eu agüentava mais essa chatice. Sobre as novidades, por enquanto é segredo (trilha de suspense...).

Sábado faço 24. Já sou uma mocinha, viu?
Amo fazer aniversário e pretendo encher a cara rodeada pelas pessoas mais importantes da minha vida e depois cair apagada no beliche bagunçado do quarto das minhas irmãs e acordar no dia seguinte morrendo de azia e dor de cabeça, mas feliz. Quero passar a semana ouvindo o CD da Mariah Carey que vou ganhar de presente (porque sou uma puta duma romântica...) e trabalhar feliz por estar em ano novo, idade nova, e cheia de pautas pra emplacar!

Repito pra mim mesma que é preciso deixar o passado. É preciso se apaixonar, mas não esperar mais do que as pessoas podem lhe oferecer, isso evita frustrações. É preciso trabalhar pra ter as coisas que se quer. É preciso encontrar um equilíbrio entre razão e emoção. Nenhum dos dois pode falar mais alto, porque isso (novamente), evita frustrações.

Se todo mundo passa por algum momento de “crise” na vida, 2008 foi a minha vez. Mas ele está indo, e levando junto minhas dúvidas, medos, e carências (e que leve pra bem longe). Vamos dizer que foi um ano atípico, uma versão emo... eca!

Escrever aqui, em vários momentos trouxe alívio, uma sensação de Ufa! Falei! No ano novo quero contar muitas coisas boas.

Então tá, chega de papo.
Feliz ano novo! Com muito dinheiro bolso, saúde pra dar e vender!
Muito amor, sexo, risadas. Que em 2009 a gente tenha tudo o que merecer!

Amém!

5 comentários:

Jaqueline disse...

É...sei bem como é isso de repensar a vida. Mas dá uma angústia danada né? Por isso também estou louquinha por 2009...sei que virá repleto de alegrias e realizações!

Beijinhos da Jaque

Francine disse...

Oieeee
Tô aqui comentando... viu?!?!?!
Achei muito profundo o teu pensamento, mas uma coisa que eu aprendi é que essas adversidades servem pra purificar a gente sabia?! Então desliga a confusão, liga a tranquilidade pq tudo acontece do jeito certo, na hora certa... Deus não dá fardos pesados pra ombros fracos!!

Te admiro muito, e de coração só desejo coisas boas, das melhores, pra ti nesse ano que se inicia!!!

E parabéns adiantado!!

Beijão =**

Vilson Savino disse...

Muitas vezes precisamos mesmo de um momento que divida o presente e o passado para que fiquemos a vontade para aplicar mudanças em nossas vidas, na esperança de que tudo que nos frustou realmente não volte a acontecer. É o caso da passagem de um ano para o outro, que na verdade simboliza senão a busca de um recomeço, não significando que isso venha a ser a rigor a verdade, pois para isso seria necessário começar do zero de fato. Mas como planejamos e depositamos esperanças no futuro, nada mais oportuno que uma comemoração a altura, no caso alguns excessos que precisamos para estravazar a alegria de celebrar o fato de estarmos vivos.
Boas festas Kellen.

Luciano e Sane disse...

entao... dia 3 tem bolo?

Raiane disse...

quarto bagunçado das minhas irmas??

é...tava mesmo... mas tu nem lembra direito neh... uhushush...
bjuu manaaa