Páginas

24 de out de 2008

Transmissão de pensamento

Hoje enquanto ia pro trabalho nosso de cada dia lembrei que devo uma visita à minha amiga que teve bebê. O filho dela ta quase tirando carteira de motorista e não fui conhecer o menino. É uma amiga de infância, dos tempos de Floripa. Passamos tantas coisas juntas (isso inclui imitar as Spice Girls no colégio, sofrer pelo mesmo gurizinho e fazer manobras na escala dos coroinhas pra ficar juntas na missa), e eu gosto realmente dela. Quando casou há uns três anos ela veio morar em Criciúma. Quando o bebê nasceu ela me avisou, esperando uma visita...
Enfim, hoje decidi ligar pra ela e marcar pra segunda sem falta. Mas não ia ligar às oito da madrugada, né? Pensei em ligar à tarde.
Ok. Passados uns trinta minutos meu celular toca. É ela. Puta merda! Se eu falar que pensei nela hoje vai parecer que é mentira, maior balela, melhor nem falar. Mas que transmissão de pensamentos, heim?

Ela ta indo embora, voltando pra Floripa. Ligou pra avisar, no caso de eu querer me despedir (e conhecer o filho dela). Semana que vem é a mudança e lógico que combinei a visita. Mas deu um peso na consciência. Tristeza por eu ser uma inadimplente.

Nessas horas não tem o que fazer. É assumir na cara de pau mesmo que eu sou atrapalhada e preguiçosa e não faço visitas por esses motivos, por esses ridículos motivos.


Então já sabe... se eu não ligar, não mandar mensagem, não der as caras... não significa que eu não goste de você. É só o meu jeito torto mesmo... que um dia se endireita...

2 comentários:

Jéh disse...

telepatia... imitando as Spice Girls é maraaaaaa kkk

Luciano e Sane disse...

bahhh... q feio hein "chóócoleite"!