Páginas

20 de out de 2008

A imprensa do espetáculo

O povo quer pão e circo? A imprensa não tem pão, mas garante o espetáculo. Foi assim no caso Isabella. Foi assim no seqüestro da Eloá.

Eu sei que é preciso passar informação, as pessoas querem e têm esse direito. Mas, peraí, curiosidade tem limite e interferência no trabalho dos outros também. Tem gente que leva muito a sério aquela história de "quarto poder".

Ok. Pra mim é fácil falar. Eu não estava lá e, por ter terminado tudo errado, é mais cômodo criticar. Se as mocinhas fossem salvas e o bandido malvado preso, a polícia sairia de heroína e a imprensa de co-heroína, se é que isso existe.
Mas teve falha. Da polícia, da imprensa, do escambal. Essa entrevista feita pelo Diego Salmen do Terra Magazine é muito interessante e fala exatamente o que estou tentando dizer:

Pimentel: mídia foi "criminosa e irresponsável"


A cobertura feita pela Rede Record, RedeTV! e Rede Globo prejudicou as negociações com Lindemberg Alves, na avaliação do ex-comandante do Bope (Batalhão de Operações Policiais Especiais) e sociólogo Rodrigo Pimentel. Para ele, a postura das emissoras foi "irreponsável e criminosa".
- O que eles fizeram foi de uma irresponsabilidade tão grande que eles poderiam, através dessa conduta, deixar o tomador das reféns mais nervoso, como deixaram, poderiam atrapalhar a negociação, como atrapalharam.

**

Até entrevista ao vivo no programa da Sônia Abrão o bandido deu.

Nessas horas dá até vergonha de ser jornalista.

Um comentário:

Francieli disse...

Pois é, nessas horas tbm acabo tendo vergonha de ser jornalista, acho q para tudo existe um limite.
O que nos resta fazer nesse caso é torcer para que em outras vezes a ética fale mais alto do que a preocupação com a audiência.

Bjus