Páginas

3 de mai de 2009

Nos embalos de quinta à noite

Agora é assim: quinta é dia de sair de casa. Sabe-se lá porquê, é o quente da noite em Criciúma. Então tá. Mas essa quinta era ainda mais esperada: véspera de feriado... imagina.

Cheguei em casa podre lá pelas 21h30 (passei o dia fotografando a festa de um cliente, ouvindo sertanejo desde as 8h da manhã), com o cabelo cheirando a comida. Um lado de mim queria dormir, mas o outro mandava deixar a velhice de lado e sair. Fomos. E fomos bebendo vinho (derramei na roupa, obviamente).

Chegando lá, tinha uma fila gigante. Algumas coisas, quando grandes demais, assustam. Fila é uma delas. Conta é outra.

Abre parênteses. Há algum tempo que combino com um amigo de a gente se encontrar numa balada. Mas nossas agendas são incompatíveis (celebridade falando). E ele disse que estaria nessa tal balada e era pra avisar se eu fosse (sei lá pq, mas era pra avisar). Como sou grossa, não avisei. Abro o msn e tem mensagem off dizendo que se me encontrasse por lá eu seria linchada. Nem precisa dizer que fiquei com medo de encontrar com ele, né? Fecha parênteses.

Entramos na Dioxy. Nós e o restante do mundo.
Com toda a sorte que Deus me deu, no primeiro passo encontro o tal amigo que queria me linchar (tinha esquecido de como ele é gato). Me deu um abraço bem cheiroso e nem me bateu.

Escolhemos um canto, compramos bebidas, e bora dançar. Mas era minha primeira vez ali e né, queria circular. Fomos subindo. O terceiro andar tava ainda mais lotado, do tipo que tem que fazer contorcionismo pra conseguir ir de um lado ao outro. Tocando música gaúcha, como se fosse possível dançar. Olha, festa vazia é chata, mas superlotação... Voltamos lá pra baixo.

Daí começam as merdas da noite. Paramos num lugar que dava de dançar. Pudera, ninguém ia querer ficar naquele canto. Praticamente escondidas, ao lado do banheiro feminino. A porta da sacada aberta com um vento encanado desgraçado. Dançamos pra espantar o frio. Mas a banda cantando “você é luz, é raio estrela e luar” não tava ajudando muito a esquentar. Na escala de coisas que acabam com o meu humor, o frio lidera disparado. A gente começa a contrair os músculos pra enganar o frio, sabe? E fica com dor das costas. É bem legal. Então resolvi sentar um pouco e achei uma cadeira ótima, de frente pro palco. Sentei e encharquei a bunda. Parecia que tinha feito xixi na calça. Mas já que ninguém ia botar a mão na minha bunda mesmo (droga!), não faz mal.

Apelidei carinhosamente o nosso canto de o “cu da boate”. A única coisa que vi a noite inteira foi mulher apurada pra ir no banheiro.

Uma amiga empolgadíssima, se sentindo a própria da música “ela é puro êxtase”. Mas tinha álcool de menos e frio demais no meu corpitcho, não dava de acompanhar. Lá pelas três e meia fomos pra casa. Ahhhhh a minha cama! Amo tanto!

No dia seguinte, meu amigo/gato/cheiroso diz que me procurou e não achou, que me escondi. É claaaaro que não me escondi. Ou sim. Ah, sei lá. Só sei que foi assim.

Tomara que na quinta vem tenhamos mais sorte.
Por favor, deseje-me sorte! Tô precisando tanto ultimamente.

*******


Esse post é especialmente para a minha amiga-prima-leitora Rafaela! Porque se não fosse ela me perguntar todo dia: atualizou? não sei o que seria do blog...
Agradeça (ou não) à Rafa!

14 comentários:

Anônimo disse...

vAMOS LA ENTAO bOA sORTE!!!!!

Aline disse...

Eu perdi a parte da bunda encharcada. Boa sorte Kellen!!!!Que essa semana seja melhor, e a próxima melhor ainda e a outra ainda mais legal!!! Mas que estranho, pq eu adorei o cu da boate, que carinhoso.....beijossssss

Deise Duarte disse...

Quinta agora tu faz xixi de verdade! é quentinho, quem sabe ajuda a espantar o frio e a mandar teu mal humor embora. Ou não.

Enfim, Palmas para a Rafaela porque eu me divirto cada vez que tu atualiza ;)

Beijumeliga! (porque agora tu até pode me ligar =] )

Renata Angeloni disse...

Fran não foi???
tu é 10, pq relatar a balada nua e crua do jeito que tu sentiu, prova que não tem medo de nada hehehe
eu sou sincera q preferia ir em locais vazios, pq sempre me divertia mais, podia dançar a vontade de verdadão
ir se esquivando e se fazendo de louca da penca de mulheres reparadeiras é triste eheheh
e que a próxima balada seja de sorte pra ti, mas muito engraçada pra um novo post
e faço uma corrente: atualiza todo dia????
BJS

Ricardo Chicuta. disse...

Pois é,Criciúma tem disso.O dia "bom" para sair já foi sábado,depois,sexta e agora é quinta.Mas ir pra um lugar e ouvir pagode,sertanejo e música gaúchesca não dá...

lene disse...

PQP, minha mente é perigosa demais pra ler blogs inocentes, quando li que "Algumas coisas, quando grandes demais, assustam" eu não pensei nem em fila, nem em conta! ahhahahahaha

Rafa disse...

Vamos lá galera a corrente continua ATUALIZA, ATUALIZA.... Rsrsrsrs.. Nossa q bonitinho o nome "cu da boate" carinhoso neh.... Boa sorte então neh prima... Ve se nessa quinta vc "pega" seu amigo cheiroso rsrsrs.... E adorei.. dedicou p/ mim o post..linda te adorooo

Kellen Rodrigues disse...

Rafa, como assim "pegar"? hahaha

Como diria aquela da escolinha: você só pensa naquilo!
=P

Fran Oliveira disse...

Olha eu finalmente comentando, rsrs, Kellen com certeza eu torço para as próximas serem bem melhores e acho que isso será na próxima semana e depois a gnt conta td né. Respondendo a Rê, eu não estava em Cri e sim circulando pela Amurel.

Bjuss

Filipe Casagrande disse...

Esta é a Dioxxy...
e esse é o povo de Criciúma que sai tudo na quinta...

Vai entender este lugar ¬¬

Deise Anne disse...

Essa boate toca música ruim, viu? rsrs
Ah, boa sorte!!!
Beijos,

Kellen

Deise Anne disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
PutzGraça!!! disse...

“Você é luz, é raio estrela e luar” não é a música do cara da calcinha? Aí Kellen, sabe o que faltou pra entrar em sintonia fina com o teu "Ah(!)migo"?
Nada, não. Nossa mente pervertida, como a da Lene, pensou num negócio, mas deixa...

Luciano e Sane disse...

eeeeeiiii... qual o problema de escutar sertanejo????